Governo Biden deve cobrar posturas mais concretas do Brasil

Ex-embaixador dos EUA considera que carta enviada por Bolsonaro chegou tarde; país foi o último do G20 a reconhecer vitória de Biden

Joe Biden, presidente dos Estados Unidos. Foto: Reprodução

Jornal GGN – A carta enviada pelo presidente Jair Bolsonaro a Joe Biden na última semana, por ocasião da posse na presidência dos Estados Unidos, não basta para promover as relações entre os dois países.

Para especialistas ouvidos pelo jornal O Estado de S.Paulo, o Brasil precisará adotar medidas mais concretas caso queira se alinhar ao governo de Biden. “A carta foi importante e necessária. Mostra que o governo Bolsonaro entendeu que Joe Biden é o presidente dos Estados Unidos. É um movimento bom, mas demorou”, afirma Tom Shannon, que atuou como embaixador americano no Brasil durante parte do governo de Barack Obama.

Na carta, Bolsonaro destacou o relacionamento mantido entre Brasil e Estados Unidos e sinalizou uma parceria para proteção do meio ambiente e desenvolvimento sustentável.

Entretanto, o tom adotado vem após a demora em reconhecer a vitória de Biden (o Brasil foi o último dos países do G20 a parabeniza-lo), aliado à insistência no apoio e nos sinais de admiração a Donald Trump, além de falas que contrariam o governo democrata, principalmente com relação ao meio ambiente.

Bolsonaro sempre adotou posições alinhadas com as adotadas na gestão Trump, e que devem ser refutadas no mandato de Biden, como a saída da aliança conservadora da qual o Brasil faz parte com outros 31 países que defendem políticas contra o acesso ao aborto.  Além disso, os Estados Unidos não irão se retirar da OMS (Organização Mundial da Saúde) e sinalizaram que darão apoio aos direitos reprodutivos das mulheres no mundo.

 

 

Leia Também
Iconografia da posse de Biden revela símbolos do Deep State X simulacros midiáticos, por Wilson Ferreira
EUA: Maioria quer condenação de Trump em impeachment
Brasil de Bolsonaro: de protagonista à pária mundial, por Ricardo Mezavila
Mourão deseja “êxito” a Kamala Harris e fala em “fortalecer parceria”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora