Governo Bolsonaro mantém Brasil fora da Celac

Mesmo com pedidos do México, país suspende participação em entidade que reúne 33 países latino-americanos

Jornal GGN – O governo Bolsonaro não ouviu os pedidos do México e suspendeu sua participação na Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos). Atualmente, a comunidade conta com 33 países.

Criada ao final do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2010, a Celac é uma entidade onde os países da América Latina se articulam sem a participação de Estados Unidos e Canadá. O México assumiu a presidência do bloco neste ano.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, entrou em contato com o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, e pediu que o Brasil voltasse a participar das atividades da Celac. O país não participou do bloco no ano passado, quando era comandada pelo então presidente da Bolívia, Evo Morales.

Porém, o governo Bolsonaro não deu ouvidos aos pedidos de Ebrard por considerar a Celac uma articulação com poucos efeitos práticos – e a delegação venezuelana é integrada por representantes de Nicolás Maduro, sendo que o governo brasileiro é agressivamente contra o chavismo e já reconheceu Juan Guaidó como presidente encarregado do país.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro volta a elogiar miliciano: Adriano Nóbrega era herói da PM do Rio

3 comentários

  1. Além de destruir, reconhecer e apoiar governos ilegais, quer isolar o país…

    parafraseando Barbara Sher:

    “O isolamento é um assassino de oportunidades” ( segundo ela…de sonhos )

  2. Depois de muito pensar sobre o Brasil não posso deixar de me convencer que o nosso problema é a nossa inacreditável mediocridade. Mediocridade em todos os sentidos. Impressionante. Esse sujeito disse que ia destruir tudo e ninguém faz absolutamente NADA!
    Impressionante nossa pequenez. Assustadora nossa covardia.
    Se for possível reconstruir o país (pois já não sei se é ainda possível diante de tanta destruição) devemos começar pelo básico dos básicos: construindo HOMENS.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome