Governo reduz projeção do PIB de 2020 para 0,02%

Pandemia de coronavírus afeta prognóstico; verba de ministérios não será bloqueada devido ao decreto de estado de calamidade pública

Esta foi a segunda revisão do crescimento econômico - recentemente, os dados foram reduzidos de 2,4% para 2,1%

Jornal GGN – O Ministério da Economia cortou a projeção para o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 2020 de 2,10% para 0,02%.

Os números foram afetados pela pandemia do novo coronavírus, o que também levou o governo federal a informar que uma queda nas previsões de arrecadação de encargos deveria levar a um bloqueio de R$ 37,5 bilhões, mas isso não será feito devido ao decreto de calamidade pública.

“Nas últimas duas semanas, uma série enorme de fatores aconteceu, o que nos levou, a bem da transparência, a reestimar a nossa modelagem”, afirmou o secretário de política econômica, Adolfo Sachsida, segundo informações do jornal Folha de São Paulo. “Houve um choque inesperado na economia mundial, que afetou a economia brasileira. É um choque transitório”, completou.

O decreto de calamidade pública é válido até 31 de dezembro de 2020, e foi adotado devido à necessidade de se aumentar os gastos públicos. Assim, o governo não será obrigado a cumprir a meta fiscal ou contingenciar os recursos (o aval é dado pela Lei de Responsabilidade Fiscal).

O governo já revisou a perspectiva para a atividade no ano de 2,4% para 2,1% – entretanto, o número não considerava o agravamento da crise gerada pela pandemia do coronavírus e o impacto da guerra do preço do petróleo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Clipping do dia

6 comentários

    • Eu também. Mesmo assim, com uma enorme e oportuna desculpa que lhes permitiria saírem do delírio para a realidade Guedes e equipe mantém a irracionalidade na trilha para a mais inimaginável catástrofe.

      Qualquer beócio, até este que vos escreve nessas mal traçadas linhas e que acusa a própria beocidade nominando-se em latim, sabe que, se a vaca já estava a caminho do brejo antes, agora, depois do covid-19, foi-se com corda e tudo, para morrer atolada até o pescoço nesse banhado.

      Mas, Guedes não, nunca. Sonhando em transformar o Brasil em um grande Chile pinotizado, destruindo tudo e todos que remotamente representem o Estado e os substituindo pelo “mercado”, dotado de uma crueldade ímpar e de uma teimosia atroz, só irá parar se for parado.

      Isso não pode ser atribuído a burrice, ele não é burro. Não pode ser produto da ignorância, ele não é tão ignorante assim. Então, sobram duas hipóteses, não excludentes entre si:

      a – ou é um psicopata, louco, desses de se atar e dar com pau, total e completamente tantan, um lelé-da-cuca sem cura nem salvação;

      b -ou é o maior safado, bandido e facínora que esse país de salafrários empedernidos, gatunos-dos-quatro-costados teve notícia de já haver pisado o solo pátrio.

      Logo, seu destino deveria ser ou o hospício ou as galés.

    • Na verdade o número lido no ‘pibômetro’ do guedes tinha um grau maior de precisão, até a quarta casa decimal: 0,0171 %

      Por alguma razão, ele achou que ia cair mal divulgar esse número muito preciso — se mancou que os três algarismos significativos descreviam com rigor a “exatidão” de sua projeção. Então ele fez um arredondamento para a segunda casa decimal.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome