ICMBio lança Atlas, portal e revista eletrônica

Para baixar o Atlas:

http://www.icmbio.gov.br/images/stories/documentos/Atlas-ICMBio-web.pdf

http://www.icmbio.gov.br/comunicacao/noticias/4-geral/771-icmbio-inicia-semana-comemorando-lancamentos-de-produtos

ICMBio lança Atlas, portal e revista eletrônica

 

Carolina Lobo

 

Brasília (12/04/2011) – “É uma honra estar trabalhando com vocês do ICMBio. Comemoramos hoje o lançamento de três produtos do Instituto excepcionais, deslumbrantes. Resultado de dedicação e compromisso da Casa. A precisão, a qualidade, o rigor, a preocupação com a empiria dos trabalhos são exemplares.” A afirmação foi feita pelo secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, Francisco Gaetani, que representou a ministra Izabella Teixeira durante a cerimônia de lançamento do novo portal do Instituto Chico Mendes, do Atlas da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção em Unidades de Conservação Federais e da revista eletrônica Biodiversidade Brasileira – BioBrasil. Na solenidade, realizada na sede da autarquia, em Brasília, na tarde desta segunda-feira (11), também foi divulgado o relatório de gestão 2011.

O secretário de Biodiversidade e Florestas do MMA, Braulio Dias, fez coro ao secretário-executivo. “Não podemos perder de vista que essa é uma das principais responsabilidades que temos: prestar informação à sociedade. Esses três produtos vêem nessa direção”, destacou.

Para o presidente Rômulo Mello, “no Instituto temos que ter a obrigação de ter a dinâmica de quem está em processo de formação, dando saltos importantes de qualidade, como está se dando hoje no que diz respeito a lançar produtos que permitam à sociedade brasileira conhecer, entender e nos ajudar a conservar, mesmo porque esse papel não é só das instituições públicas, é de todo cidadão brasileiro”.

Leia também:  Refundação do Brasil passa por desencarcerar e descriminalizar a cannabis, diz Valois

Rômulo destacou que o novo portal é uma revolução no que diz respeito à informação para a sociedade e que a revista eletrônica é o meio de atrair a sociedade acadêmica no processo de proteção da natureza executado pelo ICMBio. Afirmou, ainda, que o Atlas é um instrumento importante para orientar a definição de áreas prioritárias para ampliação e criação de novas unidades de conservação. “Esse documento, produto também inédito, permitirá que possamos avançar mais e de forma qualificada no processo de conservação. Depois do mapa produzido pelo MMA sobre áreas sensíveis para a conservação da biodiversidade, eu considero que esse é o segundo produto de melhor orientação técnica e política para o processo de criação”, enfatizou.

Também compuseram a mesa os diretores de Unidades de Conservação de Proteção Integral, Ricardo Soavinski, de Planejamento, Administração e Logística, Silvana Canuto, de Unidades de Conservação de Uso Sustentável, Paulo Maier, e de Conservação da Biodiversidade, Marcelo Marcelino; além do procurador chefe nacional da Procuradoria Federal Especializada, Daniel de Melo Ribeiro, e da presidente da Asibama/DF, Lindalva Cavalcanti.

Ineditismo

A servidora Sandra Tavares, da Ascom, apresentou as ferramentas do portal e explicou que a preocupação da equipe que o produziu no período de quatro meses foi traduzir o objeto de trabalho do ICMBio em linguagem simples para a população brasileira. “Contamos com toda a Casa para manter esse conteúdo cada vez mais atualizado, interessante e atrativo para o público externo”, finalizou.

O coordenador geral de Espécies Ameaçadas, Ugo Vercillo, apresentou o Atlas da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção em Unidades de Conservação Federais. A obra traz dados importantes para o mapeamento e a situação atual de inúmeras populações de animais em risco de extinção. No total, foram compilados 1.293 registros de 313 espécies da fauna ameaçada em 194 UCs federais. Das 310 UCs federais, 198 já possuem registro de espécies ameaçadas. As aves e os mamíferos foram os mais elencados no livro.

Segundo Vercillo, a publicação consolida e traduz de forma clara as duas missões do ICMBio de proteger o espaço territorial e conservar as espécies. O coordenador afirmou que os dados apresentados no Atlas podem orientar a criação de UCs e, principalmente, orientar o reforço ao meio de pesquisa nas unidades de conservação. Disse, ainda, que este é apenas o primeiro trabalho e que o levantamento de dados continuará: “Já demos o início ao próximo livro“.

Leia também:  Manchetes dos jornais dos EUA

Por sua vez, Kátia Torres Ribeiro, coordenadora de Apoio à Pesquisa, apresentou o primeiro número da revista eletrônica Biodiversidade Brasileira – BioBrasil, que traz uma avaliação do estado de conservação de cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, além de artigo que apresenta as etapas técnicas do processo de avaliação das espécies da fauna. Kátia explicou que são dois os focos da publicação: disponibilizar os resultados científicos da avaliação do estado de conservação das espécies da fauna brasileira e levantar a discussão sobre o manejo e a conservação das UCs e das espécies ameaçadas.

O Atlas pode ser acessado pelo portal do ICMBio por meio do link www.icmbio.gov.br/images/stories/documentos/Atlas-ICMBio-web.pdf e será distribuído aos centros de pesquisas e UCs; e a revista BioBrasil, por meio do link www2.icmbio.gov.br/revistaeletronica/index.php/BioBR.

(61) 3341-9280

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome