Índia deve aprovar vacina de Oxford em janeiro

Serum Institute of India também alertou sobre a expectativa de escassez das vacinas COVID-19 no primeiro semestre do novo ano

Do Wion

O Serum Institute of India espera que o governo indiano dê aprovação à vacina contra o coronavírus Oxford-AstraZeneca para uso emergencial nos próximos dias, disse a empresa na segunda-feira.

A partir de agora, a empresa farmacêutica já produziu de 40 a milhões de doses da vacina Oxford e pretende aumentar a produção para pelo menos 100 milhões de doses por mês até março, desde que uma nova instalação seja estabelecida, informou o presidente-executivo da Serum, Adar Poonawalla.

Ele também espera aumentar a produção para 300 milhões de doses da vacina até julho de 2021 para atender à crescente demanda, considerando as novas variantes sendo identificadas em várias partes do mundo

“Temos de 40 a 50 milhões de doses de Covishield estocadas. Assim que obtivermos as aprovações regulatórias em alguns dias, caberá ao governo decidir quanto pode receber e com que rapidez”, disse Poonawalla. 

Ele também garantiu que todos os dados relacionados foram fornecidos às autoridades competentes do Reino Unido e da Índia. “Todos os dados sobre a vacina Oxford-AstraZeneca COVID19 apresentados na Índia e no Reino Unido. Não há preocupações, os reguladores estão revisando de perto os documentos e dados”, disse ele.

Poonawalla também informou que, como a Índia faz parte da ‘COVAX’, pelo menos 50% de toda a produção será dada à Índia. Ele também acrescentou que, considerando a população da Índia, “provavelmente acabará dando a maioria dessas 50 milhões de doses para a Índia primeiro”.

Insinuando uma “boa notícia do Reino Unido muito em breve”, ele notificou que a vacina AstraZeneca-Oxford pretende ser licenciada até janeiro de 2021. 

Poonawalla também alertou sobre a expectativa de escassez das vacinas COVID-19 no primeiro semestre do novo ano, mas acrescentou que “veremos uma redução em agosto-setembro de 2021, pois outros fabricantes de vacinas também poderão fornecer”.

Leia também:

Fiocruz deve pedir registro da vacina de Oxford até 8 de janeiro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome