Juros de cheque especial e cartão de crédito irão para votação no Senado

Projeto busca reduzir taxas para patamar de 30% ao ano; Febraban trabalha contra iniciativa e diz que medida prejudicará economia

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Senado Federal deve votar nesta semana o projeto que limita os juros do cheque especial e do cartão de crédito durante a pandemia do coronavírus.

De autoria do senador Álvaro Dias (Podemos-PR), a expectativa é que o tema entre na pauta no Senado na próxima quarta-feira (01/07). O relatório preparado por Dias foi finalizado há mais de um mês, enquanto o parecer elaborado pelo senador Lasier Martins (Podemos-RS) apresenta mudanças nos limites ante o texto original.

Enquanto o autor do projeto propunha um limite de 20% nas taxas cobradas pelo cartão de crédito e no cheque especial ao ano, o relator mudou a taxa para 30% ao ano. Martins colocou como exceção as linhas de crédito concedidas pelas chamadas fintechs, que teriam um limite de 35% ao ano.

A medida é considerada polêmica por interferir em contratos privados, e a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) trabalha contra o projeto, alegando que a medida pode prejudicar ainda mais a economia. As informações são do jornal Folha de São Paulo.

 

Leia Também
Cinco perguntas para a economista Hildete Pereira de Melo
FMI: América Latina terá maior recessão da história
Novo calendário evidencia intermitência do auxílio emergencial
Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro acena para veto de projeto das fake news

6 comentários

  1. “A medida é considerada polêmica por interferir em contratos privados, (…)” DE AGIOTAGEM! O cinismo dessa gente é revoltante.

  2. Acho que a Febraban devia estar a favor, com a pandemia nunca vai receber de volta o que emprestou, pois com os juros extratosféricos e o tomadores ou estão sem nenhum recurso, com salearos reduzidos ou segurando no colchão pois não sabem o dia de amanhã. E tem mais uma tem muita gente faland em falências bancárias e assim nunca pagariam as dívidas.

  3. Usura não é mais considerado crime??? Ora, por que não permitem os agiotas trabalharem de forma legalizada então????

  4. Aí eles criam uma taxa de expediente na pandemia que compensa a perda nos juros…
    Acreditar em bancos no brasil?????????????????

  5. Ou o Congresso salva do que sobrou do povo;
    Tira os sobreviventes do meio dessa selva de exploração, a maior do mundo.
    A atividade bancária no Brasil tornou-se um grande freio atravancando o crescimento do país.
    Anos, anos, quantos anos perdidos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome