Justiça baiana impede cremação do corpo de Adriano Nóbrega

Juiz determinou que miliciano não seja cremado até que uma perícia necroscópica complementar seja feita pelo IML do Rio de Janeiro.

Jornal GGN – Segundo o jornal A Tarde, de Salvador, o juiz da comarca de Esplanada, Augusto Yuzo Jouti, atendeu a um pedido feito pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) e determinou que o corpo do ex-policial do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Rio de Janeiro, Adriano Magalhães da Nóbrega, não seja cremado até que uma perícia necroscópica complementar seja feita pelo IML do Rio de Janeiro.

O novo exame deve ser apresentado na Justiça baiana em 15 dias. Na decisão, o juiz também determina que a Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia disponibilize as gravações dos rádios transmissores usados ​​pelos agentes policiais no dia da operação policial e realize o exame papilogênico nas munições não deflagradas da pistola supostamente encontrada com Adriano.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora