GGN

Justiça ignora acordo e expulsa MST de acampamento no RN

Acampamento do MST havia sido acordado com Governo do RN (foto: Aedson Epstein)

Por Rafael Duarte, da agência Saiba Mais

A Justiça do Rio Grande do Norte ignorou um acordo firmado em 2018 entre o Governo do Estado e o MST para que aproximadamente 330 pessoas montassem acampamento numa área rural de São Gonçalo do Amarante e determinou a desapropriação do terreno que pertence ao próprio Estado.

A ordem foi cumprida pela Polícia Militar na manhã desta quarta-feira (7) sem aviso prévio. A maioria dos desabrigados não tem para onde ir. Os deputados estaduais Sandro Pimentel (PSOL) e Isolda Dantas (PT) acompanham as negociações no local entre a polícia e dirigentes dos Sem Terra.

O mandado de desocupação foi expedido pelo juiz da 1ª Vara da Comarca de São Gonçalo do Amarante Odinei Wilson Draeger a pedido do Ministério Público Estadual, sob alegação de que o terreno ocupado está localizado numa área de proteção ambiental. O magistrado determinou “a retirada de todos os barracos e a demolição de quaisquer construções realizadas, às custas dos réus”.

No documento, o juiz chama o terreno de “Parque Natural Municipal das Nascentes do Rio Golandim”, mas não há nenhum parque no local, apenas a intenção de construí-lo.

Leia matéria completa aqui

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Sair da versão mobile