Lava Jato: cenas dos próximos capítulos?

Quanto a Lava Jato sabe sobre os governos tucanos? E o que aguarda para revelar essas informações? Um momento em que o reality show obtenha um maior índice de audiência?

Big Brother

Nelson Motta é, normalmente, um sem noção. Só um sem noção sairia com uma desta:

Janeiro é o terror dos cronistas (menos os de turismo), o país está em férias, todo mundo viajando, tudo fica adiado para depois do carnaval, nada acontece”.

Nelsinho, como é conhecido, assim, no adequado diminutivo, deve estar se referindo a um país imaginário, todo a beira mar e cujas fronteiras vão do aeroporto Santos Dumont à entrada do Túnel Dois Irmãos. Logo, localizado em algum lugar no tempo em torno da década 70 do século passado.

Ele não é o único colunista de música que, ultimamente, se aventurou a falar merda no campo da análise política. Há também Ruy Castro, compatriota de Nelsinho.

Mas, não é que, de repente, Nelsinho nos apresenta uma análise de grande lucidez em sua coluna de O Globo de 08 de janeiro de 2016, ”A melhor série do momento”?

“…a Lava-Jato volta a pleno vapor e garante que no Brasil raros janeiros terão tanto assunto. O público aguarda diariamente um novo capítulo do melhor reality show do momento”.

Até Nelsinho já percebeu.

A Lava Jato é antes um reality show. Cada dia com um novo capítulo pensado para garantir a audiência. Um Big Brother com Sergio Moro no lugar de Pedro Bial.

Sem dúvida, não lustra a biografia de jurista de Moro, mas, se até Nelsinho já percebeu…

Esse espasmo de lucidez de Nelsinho veio-me à mente na sequência de duas denúncias, ou citações, ao gosto do freguês, incomuns, feitas no âmbito da Lava Jato. Os R$ 300 mil a Aécio e os R$ 100 milhões ao governo FHC.

Não creio que, por enquanto, vá dar em nada.

Declarações de Youssef a uma CPI, devidamente gravadas, comprometendo Aécio com muito mais informações foram tratadas como se “não viessem ao caso”. E é sempre bom lembrar que um helicóptero com meia tonelada de cocaína já se desmanchou no ar sem deixar destroços que comprometesse alguém.

Note-se, no entanto, o “por enquanto” na frase acima. Explica-se.

Claramente a Lava Jato não levantou somente informações sobre os “malfeitos petistas”. Parece haver todo um estoque referente aos governos tucanos devidamente armazenado.

Por que não foram revelados junto com o reality show do PT?

Talvez por que aguardem sua hora.

Que hora?

Ora, não nos esqueçamos, ano passado, muita gente imaginou que a volta dos tucanos ao poder era iminente. Seria então a hora?

Desova-se agora uma informação aqui outra ali, por quê? Só uma espiadinha ou um ajustes na grade?

Quanto a Lava Jato sabe sobre os governos tucanos? E o que aguarda para revelar essas informações? Um momento em que o reality show obtenha seu maior índice de audiência?

Quando será esse momento?

Tucanos já não podem dormir e sonhar sossegados com a volta ao poder.

Esse é o risco do “show de Moro”. A permanente crise política.

A quem ela interessa?

Essa é fácil de responder.

Interessa aos patrões de Nelsinho Motta, afinal, “que time de ficcionistas criaria uma história melhor e mais cheia de emoção, surpresas e mistérios”?

 

PS: a Oficina de Concertos Gerais e Poesia apoia o Movimento Golpe Nunca Mais.

golpe nunca mais1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Anna Dutra

- 2016-01-12 20:14:40

Próximos capítulos?
Sergio, Nelson, o minúsculo e Ruy, o mediano: vou me abster. Já o teu texto me provoca, me leva à reflexão. Me perdoa se soa insolente mas você tem sido o meu cronista. Não creio haver nisso nenhum demérito - espero que você não se chateie - pois que é a crônica um texto dificílimo. O autor está recorrentemente sob observação e nem sempre o cotidiano e sua inexorável e prosaica repetição e simplicidade ajudam. Os atores desta ópera bufa em que se transformou a LJ e todos os seus desdobramentos têm ajudado - um pouco. Neste mar de desdita, inconsistência e vilania, teu texto me felicita na constatação de que há quem se preocupe com a análise e desfolhamento desta grande cebola em que se transformou a vida nacional desde a chegada do PT ao governo central. Camadas e camadas de interesses, crimes, mesquinharias e as indizíveis delações e melancólicos e traiçoeiros vazamentos a escancarar rasteiras e objetivos inconfessáveis, porque vis. E quantas e profundas emoções e reações suscitaram... Você, metódica e disciplinadamente, vem informando, analisando, prognosticando sob teu discernimento - em nada raso - e onde venho, não tanto quanto gostaria, beber. Logo, e por isso, te escolhi meu cronista. Neste episódio é tão óbvia - e por isto tão surpreendente - a constatação: munição está sendo estocada num arsenal construído pela alcaguetagem dos que miram em alvos neste momento bem localizados. No entanto, as descobertas tem posto a nu os próprios alcaguetes, seus financiadores e comparsas. Tem mostrado quem são bem mais que aos seus perseguidos - alguns tranquilos em sua consciência pelo que demonstram, inclusive negando-se a sujarem suas mãos em contra-delações. Esta visão de futuro, Sergio, certamente te franqueará a elaboração de novas e primorosas crônicas. Os personagens mudam; já os métodos... Olhando daqui me parece que haverá farto material até o fim dos tempos ... Para o meu gosto, muito tempo. Parei no 2o. BBB, séries só assisto até a 3a. temporada, repetição me exaspera. Vou acompanhar, claro. Mas prefiro enredos que fluem - gosto de ser surpreendida - e esta LJ está em seus extertores; sempre mais do mesmo, cansativa. Como tão cedo não teremos tucanos sob "a lei que é para todos", pois por enquanto é só para os inimigos, segue a LJ nesta mesmice. E eu, com 5.0, sem tempo a perder... 2016 tem que começar. É hora de fechar a conta e abrir o champanhe saudando o novo ano; deixar para trás um 2015 construído sobre brasas. Ou estaremos para sempre presos no "Feitiço do Tempo". Adorei teu post. Aguardo ansiosa, mas sentada a bem da minha lombar, tua análise sobre os desdobramentos dos 300m do Aecio e dos 100M do FH. Parece pouco mas este sim seria um belo presente de PN. Dezembro talvez? Até a próxima! SLP!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador