Lava Jato manipulou impeachment de Dilma e eleição 2018, admite Aloysio Nunes

Alvo de delação da OAS, ex-senador tucano diz que o STF deveria tomar providências contra os abusos da força-tarefa

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Alvo da delação de Léo Pinheiro (OAS), Aloysio Nunes (PSDB) agora admite que a operação Lava Jato manipulou o impeachment de Dilma Rousseff e a eleição presidencial de 2018.

Segundo Aloysio, a Lava Jato “vendeu peixe podre” para o Supremo Tribunal Federal quando vazou grampo ilegal (e isolado) de conversa entre Dilma e Lula, para forçar a opinião pública a pressionar para que o petista não assumisse a Casa Civil. Como consequência, o ministro Gilmar Mendes ratificou uma ação movida nesse sentido.

Nunes lembrou desse episódio para tentar amenizar a crítica ao PSDB, que sempre explorou os vazamentos da Lava Jato contra o governo do PT, e fomentou o impeachment de Dilma desde a derrota de Aécio Neves na eleição presidencial de 2014.

“Não só o PSDB [embarcou na Lava Jato sem senso crítico]. O Supremo Tribunal Federal acabou por barrar a posse do Lula com base em uma divulgação parcial de diálogo, feita por eles, Moro e seus subordinados, do Ministério Público. Eles manipularam o impeachment, venderam peixe podre para o Supremo Tribunal Federal. Isso é muito grave”, comentou.

De acordo com o ex-senador tucano, se Lula tomasse posse na Casa Civil, provavelmente Dilma não teria sido derrubada do poder. “Lula, que dizem que foi um governo socialista, governou com a direita. Teria rapidamente condições de segurar a base política. (…) Foi exatamente por isso que eles [Lava Jato] procuraram barrar, como conseguiram, a posse de Lula.”

Aloysio disse também que o vazamento do grampo “evidentemente” foi uma “manipulação política do impeachment”. Além disso, a “divulgação da delação de [Antonio] Palocci nas vésperas da eleição presidencial” também foi “manipulação política da eleição presidencial. Isso feito de caso pensado, como os diálogos revelaram.”

Nunes, que afirmava no passado que ninguém poderia barrar a Lava Jato, agora se diz “profundamente chocado” com as ilegalidades reveladas pela imprensa e pela Vaza Jato, e afirma que o “Supremo tinha que tomar providências, uma vez que o Conselho Nacional de Justiça não sei se tomará.”

Leia também:  As manobras por trás das mudanças no COAF, por Luis Nassif

O ex-senador chefiava a Investe SP (agência de fomento de São Paulo) no governo João Doria (PSDB), mas abandonou o cargo em fevereiro de 2019, quando passou a ser alvo oficial da Lava Jato. Quando Dilma caiu, ele se beneficiou com a nomeação para ministro das Relações Exteriores do governo Temer.

A Vaza Jato revelou trechos da delação da OAS, discutidas em grupos de Telegram pelos procuradores de Curitiba, que apontam que “Aloysio teria pedido propina a campanhas do PSDB em troca da liberação de recursos de obras em São Paulo.” Ele nega as acusações.

O GGN prepara uma série de vídeos sobre a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto? Acesse: www.catarse.me/LavaJatoLadoB

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Oh, foram “enganados” pelos lavajateiros…

    É muita semvergonhice.

    Só falta a globo querer se distanciar dos “leprosos”.

    Bem feito pra esses molecoes da lavajato e das facções judiciárias em geral: bater em sindicalista, sem terra, sem teto, favelado, mulher, viado é mole, ainda mais com “aliados importantes”.

    Triste é ver que jamais vão sequer se dar conta de que se prestaram ao papel de jagunços do big money.

    “Chique”, muito “chique”!

    18
    • Aloysio Nunes, de motorista de Marighella a – quem diria? – golpista vagabundo preparador de terreno para o fascista Bolsonaro, está procurando lavar a biografia. Depois da última decisão do STF, sua impunidade está garantida: Paulo Preto, condenado a 154 anos de prisão por uma juíza de São Paulo, NA VÉSPERA da prescrição dos seus crimes, se enquadra na anulação da sentença para novas alegações finais, ou seja, não tem mais jeito – também para Paulo Preto, crimes estão prescritos e a impunidade está garantida sem necessidade de delação. José Serra, FHC, Aloysio Nunes, Geraldo Alckmin e outros vagabundos do Tucanistão podem dormir o sono dos justos, amém.

      12
  2. O que vejo é uma confissão de sabia, de que usufrui abertamente e que conviveu, andou de braços dados e se relacionou oportunisticamente dos crimes praticados e com todos os que praticaram, sem nenhum pudor ou incômodo. E no momento que é, mais uma vez, chegada a sua hora de pagar por todos os malfeitos que os crimes e os criminosos lhes proporcionaram, em forma de conforto, regalias e abundantes beneficios, o distinto senhor Aloísio Nunes faz o papel do escorpião, na fábula com o sapo, que querendo fugir da tempestade que se aproxima pela frente, coloca em prática um novo plano para atravessar a lagoa da justiça e tentar escapar, se o seu instinto perverso o permitir.

  3. Os tucanos apoiaram a lavajato pois tinham certeza de que a operação iria abrir terreno pra volta dos tucanos ao palácio do planalto. A maior prova disso é que Gilmar Mendes, fiel a quem lhe pôs no STF, impediu a ida de Lula a casa civil, pois os tucanos temiam que Lula, animal político único hoje no país, conseguisse evitar o naufrágio do governo Dilma e assim se cacifar com força total pra 2018. Esse ato foi o tiro de largada da caçada humana que terminou com Lula preso. Só que a lavajato mudou de opinião e viu que os tucanos não eram a solução, mas sim um problema e trataram de fulminar Aécio com o vazamento do grampo. Nesse flagelo que a lavajato mergulhou o país, a única coisa que me faz gargalhar é ver que a lavajato fez de tudo pra destruir Lula e o PT, mas o tiro atingiu em cheio os tucanos, os depenou de cabo a rabo. O PSDB morreu no dia em que Geraldo soube da votação pífia que teve, apesar de contar com o maior espaço de tempo e dinheiro de campanha.
    Agora ouviremos muito esse papo de gente que frequentava um inferninho e mente na cara dura que pensava que era um centro de estudos filosóficos .

  4. Definitivamente o golpe destruiu o Brasil…
    praticamente ninguém com condições de dar a volta por cima e sair limpo

    e quando tudo isso for divulgado lá fora, adeus futuro das nossas crianças e jovens brasileiros

    canalhas da pior espécie é como ficaram conhecidos todos do legislativo e do judiciário

    um perigo para o mundo civilizado

  5. No dos outros é refresco né, caro senador filho de uma quenga? Aguenta agora e de preferência sem gemer.

  6. Os cínicos só estão se mexendo depois de divulgados os vazamentos e principalmente porque andam sem sono, já que a lava jato para caminhar agora, tem de pegar um ou outro bicudo.

  7. Nassif: o cara tá querendo holofote. Ele (que assusta criança rindo, como seu camarada, o CarcamanoDaMoóca) anda com baixo cacife. Então entrou nessa de morgar, dizendo o que todo mundo já sabe, sem acrescentar nadinha de útil ou proverbial. É como o safado que conta a safadeza, atribuindo a outros safados o ato eróico. Mas o papo parece ser tramoia do PríncipeDeParis, em conluio com os VerdeSauvas, pra lançarem a cadidatura do representante da ColôniaEstrelaAmarela. Os caras não dão ponto sem nó. São meliantes de alta periculosidade, desde aquela dinheirama nas Cahimãs. Por isso (e outras cossitas) nem bote fé na conversa. Lobo, você sabe, perde o pelo, mas não perde a manha. Como Aluisim…

  8. O impeachment era imaculado, a Lava Jato que teve o condão do dedo podre. O golpe era cheiroso, a Lava Jato que tinha as calças pesadas.

    A esquerda não deve, de jeito nenhum, reclicar esse lixo político. Reinaldo Azevedo, Gilberto Maringoni, e todos os políticos golpistas que agora querem posar de “surpresos” não têm de ser acolhidos pela esquerda. Têm que ser deixados cair em desgraça como consequência dos atos canalhas.

    • Errata: me refiro a Demétrio Magnoli, não Gilberto Maringoni. Ambos os nomes têm sete sílabas poéticas e as consoantes M e G. Confundi.

  9. Essa entrevista só podia ter saído no jornal do rato.
    Entre todas as mentiras que esse sujeitou proferiu e não foi contestado pelo sabujo do jornal,está uma de fácil constatação pela sua materialidade: A ponte estaiada cujo o nome,coincidentemente ,foi dado ao falecido dono deste panfleto ideológico.
    Diz o mentiroso: Em um destes casos que a moribunda operação o envolveu,juntamente com seu comparsa e também bicudo,prefeito a época, sequer eles tiveram qualquer participação uma vez que ponte estava quase pronta,restando somente uns testes de vento.
    Teste de vento ele fez com o sabujo da família dona do panfleto e com os leitores que ainda insistem nas informações dessa gente.
    Ao assumir a prefeitura,o bicudão ,o mesmo que o dono do panfleto dizia que não morreria sem vê- lo presidente da república, e morreu,em várias de suas entrevistas, para acusar os outros de ladrões, como sempre fazem,criticou a ponte que SERIA construída dizendo que era uma obra faustosa e que se fosse possível iriam modificar o projeto para diminuir seu preço.
    Pois bem,a obra faustosa hoje é um dos ícones da cidade de São Paulo e serve de cenário para um jornal da emissora golpista.Foi licitada na administração da prefeita eleita pelo PT por algo em torno de R$80 milhões e executada pelos mão de gato e bicos grandes por quase R$170 milhões.
    Essa gente além de mentirosa sempre foi cheia de criar neologismos como sempre lembrava o terrível macaco Simão.
    Neste caso eles devem ter criado o termo de economia negativa de R$90 milhões que foi o que conseguiram aumentar o preço que já “consideravam” abusivo.
    Mais de 100 %
    É ainda tem coragem de dizer que a obra já está quase pronta.
    Bandido! Mentiroso!
    É o repórter conivente com tudo isso.
    Gente da mesma laia.

  10. Camaradagem bicuda, os seja; todos são da mesma espécie, se um deles ameaça a cair e porque tá tudo dominado, assim pensam e não perdem a oportunidade de se reerguer a qq custo. Cambada de covsrdes que sempre usufruíam das benécias do estado, todis quase sem Excessão enriqueceramnas nossas custas.

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome