Mais de um milhão de pessoas pararam de procurar emprego na pandemia

Desde 2012, esse é o maior índice registrado pela pesquisa trimestral de emprego do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a Pnad Contínua

Marcos Santos/Jornal da USP

Jornal GGN – Com o agravamento da pandemia do novo coronavírus, 1,1 milhão de brasileiros pararam de procurar emprego nos primeiros três meses de 2020. Desde 2012, esse é o maior índice registrado pela pesquisa trimestral de emprego do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a Pnad Contínua.

A baixa da chamada força de trabalho foi calculada a partir das pessoas que não procuraram emprego nos 30 dias antes do período da pesquisa, ou que chegaram a procurar, “mas não estavam disponíveis para trabalhar na semana de referência do levantamento”, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo. 

Segundo levantamento, no primeiro trimestre de 2020, das 105,1 milhões de pessoas parte da força de trabalho, 67,3 milhões a partir de 14 anos ou mais de idade estavam nessa condição.

Para especialista do setor ouvidos pela Folha, o número é resultado da pandemia da covid- 19. “Como as pessoas estão em distanciamento social, a tendência é que muitos desempregados não procurem emprego”, destacou a reportagem. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Covid GGN: Brasil continua liderando total de óbitos no mundo

1 comentário

  1. Um milhão ? Muito mais !!! É um número superior a 20 milhões, sem medo de errar !!! As empresas estão fechadas e o trânsito de pessoas está restrito nos grandes centros. Esse levantamento do IBGE está muito aquém da realidade !!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome