Médicos e advogados participam de fraude de R$ 13 milhões no INSS

PF cumpriu 23 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo e Minas Gerais

Imagem: Reprodução

Jornal GGN – A força-tarefa Previdenciária da Polícia Federal em São Paulo deflagrou na manhã desta terça-feira, 7 de julho, uma operação que investiga fraudes em aposentadorias cedidas por invalidez. Médicos, advogados e um perito judicial estariam recebendo propina para declarar que pessoas saudáveis eram incapazes de trabalhar. 

A Operação Revide cumpriu 23 mandados de busca e apreensão nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Também foram tomadas medidas restritivas de direitos para impedir a continuidade dos crimes, de acordo com o jornal Estado de S. Paulo

A PF apura fraudes em benefícios cedidos por incapacidade, como auxílios por incapacidade temporária e aposentadorias por incapacidade permanente, supostamente cedidos pelo grupo, que já foi alvo de outras investigações por esquemas semelhantes. 

Segurando apuração da PF, as fraudes provocaram desvios de mais de R$ 13 milhões. Mas, a estimativa é que deve ser evitado o prejuízo de R$ 27 milhões aos cofres públicos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O que é imunidade de rebanho e por que "não se aplica" a Covid-19

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome