Home Editoria Educação Ministro relâmpago de Bolsonaro funda empresa de cursos

Ministro relâmpago de Bolsonaro funda empresa de cursos

Ministro relâmpago de Bolsonaro funda empresa de cursos
Foto RS (via fotospublicas.com)

Jornal GGN – O ex-ministro da Educação do governo Jair Bolsonaro Carlos Alberto Decotelli abriu uma empresa de cursos de educação executiva, denominada NGV (Notáveis Geram Valor), descrita como “um consórcio de professores notáveis de reconhecimento profissional e acadêmico, com experiência nacional e internacional”.

Informações do portal UOL mostram que Decotelli irá atuar como mentor de neurofinanças dos cursos oferecidos pela empresa, fundada por ele em conjunto com Marcelo Peruzzo (que se apresenta como professor convidado da FGV Management), o chamado mentor em gestão emocional.

Decotelli foi nomeado ministro da Educação do governo Bolsonaro em junho deste ano, e permaneceu no cargo por cinco dias. Ele pediu demissão após as revelações da existência de informações falsas em seu currículo.

Embora universidades da Argentina e da Alemanha tenham desmentido as informações de que Decotelli teria feito doutorado e pós-doutorado em tais instituições, Decotelli chegou a declarar que sua permanência no governo ficou insustentável depois que a Fundação Getúlio Vargas (FGV) afirmou que o economista nunca foi professor “de qualquer das escolas da Fundação”.

 

Leia Também
O caso Carlos Alberto Decotelli, o Ministro negro e normal
Decotelli culpa FGV por saída precoce do MEC
Decotelli teve doutorado avaliado negativamente, diz reitor
O incrível Decotelli e o novo currículo na Plataforma Lattes
Decotelli cede à pressão e deixa o MEC
FGV nega que Decotelli tenha sido seu professor efetivo
Com erros no currículo, posse de Decotelli no Ministério da Educação é adiada
Carlos Decotelli é o novo ministro da educação de Bolsonaro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 COMMENTS

  1. Aquele que foi sem nunca ter sido afirma que se trata de “um consórcio de professores notáveis de reconhecimento profissional e acadêmico, com experiência nacional e internacional”.
    rs.
    Assim como o currículo dele, as qualificações devem ser falsas.

  2. É um retrato do governo atual: um ex-ministro que não foi ministro, com um currículo que não tinha existido, vai (de)formar aqueles sem valor. O nome do curso já é um acinte, com os notáveis que não eram notados e nem deu tempo para serem, mas que querem levantar uma nota dos incautos. Primeiro ele que explique que coisa é esta de neurofinanças, num mundo em crise? É a nova mutreta, depois que ficou difícil defender meritocracia?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Sair da versão mobile