Miriam Leitão: Guedes na articulação política da reforma é um erro

"O presidente tem um papel incontornável no trabalho de união da base. Bolsonaro, além de fugir desse papel, faz o avesso do que deveria como demonstrou insistentemente nos últimos dias", diz jornalista

Jornal GGN – Na manhã desta sexta (29), os jornais notificam a trégua entre governo e Câmara com o acerto entre Rodrigo Maia e Paulo Guedes, que assume a articulação política pela aprovação da reforma da Previdência no lugar de Jair de Bolsonaro. Folha cravou que o pacto é porque nenhum dos dois querem “esperar” o presidente se mexer. Na avaliação da jornalista Miriam Leitão, há uma sucessão de erros nessa decisão. Pois Bolsonaro não pode fugir de seu papel política. E não cabe a um ministro que “tem a chave do cofre” do Tesouro Nacional se colocar na linha de frente de tratativas políticas, porque o custo vai ser alto para o governo.

“(…) a ideia de que o Guedes possa ser o articulador da reforma da Previdência no Congresso é outro equívoco. Ele terá que estar sempre presente, mas não pode desempenhar esse papel. Quem comanda a Economia tem a chave do cofre. Na sua área está o Tesouro Nacional. Se é ele que vai articular as forças políticas do parlamento, evidentemente os pedidos ficarão mais caros. Não falo de pedido indevido, mas das normais reivindicações financeiras e fiscais para estados e regiões. Na linha de frente tem que estar um ministro político.”

Além disso, “por temperamento, estilo, e pela natureza do cargo ele não pode ser o encarregado de coordenar as articulações políticas para a aprovação da reforma. Para isso existem os ministros políticos. E, como já disse aqui, o presidente tem um papel incontornável no trabalho de união da base. Bolsonaro, além de fugir desse papel, faz o avesso do que deveria como demonstrou insistentemente nos últimos dias.”

Leia mais.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mariapaz

- 2019-03-29 10:59:34

Miriam ajudou a criar esta situacao monstruosa, com o apoio que a Globo deu ao MBL. ao Aecio para derrubar Dilma e ppor Temer e abrir caminho atraves de odio e violencia e apoiu ao PSL...Agora vem chorar lagrimas de hipocrisia? Eu sempre digo que no poder, poucas mulheres se comportam como mulhers...Miriam e uma diminuitiva Margaret Thatcher da politica tupiniquim...coitada...nao aprendeu nada da nossa historia e de sua propria experiencia com a ditadura.... As vezes eu prescinto que deve ter algum sintoma de Alzheimer... coitada...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador