Mourão defende a entrada de garimpeiros em territórios indígenas na pandemia

Para o militar garimpeiros não tem responsabilidade sobre a transmissão do novo coronavírus em territórios indígenas

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Jornal GGN – O vice-presidente Hamilton Mourão anulou a responsabilidade da invasão ilegal de garimpeiros em territórios indígenas na transmissão do novo coronavírus nas aldeias. A declaração foi dada durante entrevista coletiva nesta quinta-feira, 9 de julho, após encontro virtual com investidores estrangeiros que criticaram a postura do governo sobre políticas ambientais.

Para o militar, milhares de índios contraíram a infecção após ir até cidades para receber benefícios assistenciais. “A questão da chegada da pandemia nas terras indígenas… Não é por que têm elementos estranhos lá dentro que a pandemia chegou. As senhoras e os senhores têm que entender, na realidade amazônica, que o indígena sai de dentro da sua terra para ir até a cidade, seja para receber algum benefício, da nossa Lei Orgânica de Assistência Social, seja porque ele tem que comprar alguma coisa”, disse. 

A declaração acontece um dia depois de Jair Bolsonaro (sem partido) vetar as obrigações do governo com os indígenas na pandemia, como garantir o acesso à água potável e ofertar leitos hospitalares e de unidade de terapia intensiva (UTI). 

Mas, enquanto o coronavírus se espalha rapidamente nos territórios indígenas – que enfrentam a invasão de garimpeiros – Mourão acredita que seria uma tarefa “hercúlea” bloquear “a entrada de gente” nesses locais. “Se nós vamos ter que bloquear a entrada, também vamos ter que bloquear a saída”, disse o vice, que também comanda o Conselho da Amazônia.

Com informações do jornal O Estado de S. Paulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora