Mourão diz que próximo ministro do MEC deve dominar conhecimentos sobre educação

Entretanto, general afirmou que Jair Bolsonaro (sem partido) pode escolher alguém na contramão de sua aposta

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Jornal GGN – O vice-presidente, general Hamilton Mourão, defendeu que o próximo ministro da Educação tenha conhecimentos em gestão e sistema educacional, mas afirmou que Jair Bolsonaro (sem partido) pode escolher alguém na contramão de sua aposta. 

À Época, o general explicou que o Ministério da Educação (MEC) precisa de um perfil que combine gestão pública e conhecimentos do setor de educação “mesmo que seja um olavista”, em referência aos seguidores do guro de Bolsonaro, Olavo de Carvalho.   

“Tem que ser alguém que junte a capacidade com gestor, com experiência de gestor, porque nós precisamos de gestor, com o conhecimento do sistema educacional. Então não pode ser só gestor, não pode ser só educador. Ele tem que alinhar as duas características. Mesmo que seja um olavista”.  

Entretanto, Mourão esclarece que talvez Bolsonaro não siga o seu conselho. “Mas eu não sei se vai ser escolhido aí nesse grupo, nessa lógica. Acho que talvez o presidente parta para outra lógica.”

Ainda, de acordo com o general a escolha é complexa porque “é um ministério complicado, um ministério que maneja uma quantidade significativa de recurso”. 

Olavista declarado, o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, teve sua a exoneração assinada pelo líder do Executivo neste sábado e viajou para os Estados Unidos, temendo ser preso e a fim de assumir uma diretoria do Banco Mundial.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora