7 comentários

  1. Há alguns meses li no O Dia,

    Há alguns meses li no O Dia, nas páginas de fofocas, que Paulo Henrique Amorim estava ameaçado de perder o cargo na Tv Record. 

    Quando PHA impediu os comentários no seu blog, com uma alegação que hoje não mais merecordo, ali eu pensei que teria havido algum entendimento, ou pressão, dos dirigentes da citada televisão para tal, porque era o tempo das muitas manifestações pró-impeachement. A Record parecia ficar em cima do muro naquele período, tal como ficara Crivella, hoje prefeito da cidade carioca, quando sartou fora no dia do voto dos senadores quando do julgamento de Dilma, como todos os covardes que foram os ministros da Presidenta, excetuando um ou outro. 

    Pelo que temos visto, a Record já mudou muito seu modo de fazer política, após a subida do primo de Macedo no Rio. 

    Na quinta-feira última, vi apenas o jornal dessa emissora. E vi que ela foi muito mais seletiva em suas pautas até mesmo que a Globo. Reservou minutos sagrados para apresentar vídeos dos bandidos da Odebrect citando Lula. Aumentou em mim a sensação de que PHA, que vai sempre numa linha crítica contrária à Casa que o emprega, poderia mudar mais um pouco seu modo de fazer política no seu blog.

    Sempre acompanhei o Conversa Afiada, como outros blgs, mas sou muito mais o estilo deste que ora comento. Ou seja, também tenho minhas críticas às críticas de PHA.

    Por fi, ao assistir ao vídeo no C. A. com o blogueiro censurando Lula pelo que diz ter primeiro verificado o conteúdo das delações dos Odebrect(s), não me surpreendeu. Com relação a Lula, penso que daqui por diante a posição de PHA já mudou.

    O que, a meu ver, está faltando a muitos, é enxergar as novas posições de Emílio e seu filho, bem como uma análise crítica a respeito do modo como esses bandidos, anti-patriotas, impuseram por força dos seus cofres pessoais, toda esa lama que estamos nela megulhados. Não se trata de achar que corruptos são melhores que corruptores, mas de observar, com olhos de lince, tudo que envolve a quadrilha dos empreiteiros, e o jeito que cada um se comporta perante as câmeras, gerlamente bem sentados, com falas fortes de quem se sente dono da cocada preta, com direito a até de esboçar sorrisos, como se quem os vê seja tudo um bando de medíocres. Por que o corrupto-político abaixa a cabeça diante de um procurador, e um corruptor, eleva asua e ainda sorri? Talvez pelo que já sabem ter acontecido a Paulo Roberto Costa, Youssef, e tantos outros, enquanto veem-se no futuro próximo em situação ainda mais confortável. Roberto Jefferson até hoje é onsiderado por muito um herói.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome