MUNDO: A RÚSSIA DE PUTIN NÃO É A DE GORBACHEV

Rússia: Mikhail Gorbachev critica a democracia “simulada” de Putin

 

“A Rússia sob comando do primeiro ministro Vladimir Putin é uma democracia de mentira”, afirma Mikhail Gorbachev em uma de suas críticas mais duras ao atual regime.

“Nós temos tudo: um parlamento, câmaras, um presidente, um primeiro ministro e assim por diante. Porém, isso mais parece uma imitação”, disse o último presidente da União Soviética.

Gorbachev, que supervisionou o abrandamento do sistema comunista e a subsequente dissolução da URSS, se tornou um crítico constante do Estado moderno russo, acusando os líderes do país de retrocederem em relação às reformas democráticas da década de 90.

Em uma coletiva de imprensa antes de seu aniversário de 80 anos, Gorbachev acusou Putin de manipular eleições.

Em resposta aos comentários do primeiro ministro e ex-presidente Vladimir Putin de que ele e seu afilhado político, o presidente Dimitri Medevedev, decidiriam entre eles quem concorreria ao cargo em março de 2012, Gorbachev disse: “Não é da conta de Putin. Isso deve ser decidido em eleições nacionais”.

Ele chamou as declarações de Putin de um sinal de “arrogância incrível”.

Sobre a abordagem dos direitos humanos do regime, Gorbachev afirmou: “Existe problema. É um sinal do estado da nossa democracia”. Ele estava relembrando as afirmações de Navi Pillay, o comissário das Nações Unidas para os direitos humanos, durante uma visita à Rússia na última semana.

Gorbachev acredita que a Rússia unida, com o partido no poder fundado com o único objetivo de apoiar a liderança de Putin, é um retrocesso.

“A Rússia unida me lembra a pior cópia do partido comunista”, disse. “Temos instituições, mas elas não funcionam. Temos leis, mas elas ainda precisam ser executadas”.

Seu domínio sobre a vida política acabaria saindo pela culatra. “O monopólio termina em decomposição e impede o desenvolvimento do processo democrático”.

Gorbachev comenta que não gostou do comportamento de Putin e Medvedev. “É uma vergonha que nossos líderes modernos não sejam tão modernos”, diz.

Atualmente, Gorbachev dirige uma fundação de caridade que dará uma festa no Royal Albert Hall, em Londres, no dia 30 de março, em comemoração ao seu aniversário. Ele também é sócio do jornal de oposição de maior circulação do país, o Novaya Gazeta [site em inglês].

Tido como um herói no ocidente pela abertura do sistema soviético e pela consequente aceitação da queda deste, Gorbachev permanece bastante desprezado na Rússia, onde é visto como um traidor que permitiu a derrota do império e o levou a um período de grande incerteza. Ao longo dos anos, ele se alinhou com a causa dos liberais russos de segunda linha.

No dia 21 de fevereiro, Gorbachev classificou a campanha do regime contra o magnata do petróleo, Mikhail Khodorkovsky [cujo poder econômico e político não agrada o governo de Vladimir Putin], preso atualmente, de politicamente motivada. “A política não deveria estar envolvida no caso, mas estavam”, disse.

Ele relembrou o caso de Natalya Vasilieva, uma funcionária do judiciário que trabalhou no julgamento de Khodorkovsky e rompeu juramento ao anunciar publicamente que o juiz foi pressionado e que a sentença foi forçada.

“Acredito totalmente nela”, disse Gorbachev. “As pessoas não aguentam mais, ela viu o que estava acontecendo com seus próprios olhos”.

Miriam Elder

Tradução de Helena Gertz

Acesse o original aqui

Imagem retirada daqui

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome