Não Haverá eleições. Estamos numa ditadura.

Que o Brasil sofreu golpe de estado em 2016 não resta dúvida.
Todos os ingredientes de um golpe estão sendo apresentados à população.
O perfil dos golpistas é o clássico, marginais psicopatas. Insensíveis. Falsos. Destroem o país e humilham o povo. E não estão nem aí para as consequências. É urgente aniquilá-los. Se me permitem uma comparação assistam o filme “Marte Ataca”, de 1996. Os usurpadores são cuspido e escarrado os marcianos.
As instituições estão contaminadas por quadrilheiros golpistas. Lembram-se do que o Jucá falou “com o supremo com tudo”?
Dilma, mulher honesta, trabalhadora e guerreira, não cometeu crime algum que justificasse a derrubada do seu governo. Mas seu cargo foi surrupiado pelo seu vice Michel Temer, o traidor. 54 milhões de votos jogados na latrina.
Lula sofre perseguição safada por parte da justiça. Será preso sem provas. Coisa de ditadura.
Acabam com direitos trabalhistas, com programas sociais, com a educação, com a saúde, com a previdência. Voltamos a fazer parte do mapa da fome. Desemprego, miséria, assistencialismo retornam ao cenário brasileiro.
Por erro estratégico e tático, não se combateu veemente o golpe no nascedouro.
Pois, nenhum grupo dá golpe e faz o que fizeram com o Brasil para ficar apenas 2 anos no poder.
A Shell não compraria parte do pré-sal se Temer não desse garantias de que o contrato não seria anulado por futuros governos. Nem os chineses, nem o noruegueses e muito menos os americanos fariam negócios se não se sentissem seguros nos investimentos. E qual a segurança? A de que não haverá governo fora da esfera de domínio dos golpistas.
Então estes sinais não deixam dúvidas, não haverá eleições em 2018. Ou, se houver não será democrática, transparente e muito menos honesta. Nenhum progressista assumirá o comando da nação. A quadrilha não permitirá, em hipótese alguma. Olhem Honduras.
Alguns estão mais preocupados em combater o “golpe dentro do golpe” do que o golpe originário? Eles, por acaso, participaram do golpe para estar tão preocupados com o destino dos golpistas?
Vejamos. Em 1964 democratas, como JK, apoiaram a golpistas originários. Carlos Lacerda esfregava as mãos de contentamento com o golpe. Acreditava piamente que sua hora chegara. Finalmente assumiria o cargo de presidente. Infelizmente a ganância os cegou. Os militares deram o “golpe dentro do golpe”. Gostaram do poder. E lá permaneceram por duas décadas. O fim dos tais democratas sabemos qual foi.
Quem será que atualmente está com receio que a história se repita? Aqui falando com meu umbigo chego a conclusão de que só golpistas teriam este medo, não todos, é claro .
A ditadura não se estabeleceu de vez porque existe um cara chamado Luis Inácio Lula da Silva. Sozinho carrega o peso da democracia nas costas.
A direita subestimou o ex-presidente Lula. E superestimou o poder da Globo em arruinar reputações. Agora não sabe o que fazer. Estão com paúra de prendê-lo. Quem tem cuida, não é verdade?
A ditadura se impõe. O exército esta nas ruas. Resolver o problema da violência é o que menos interessa. Mostrar força é o que importa.
E agora tivemos o assassinato da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro. Obra de uma ditadura. Assim como antes fizeram com o estudante Edson Luiz, com Vladimir Herzog, com Santos Dias…Momentos de terror.
Marielle foi escolhida a dedo.
Os mandantes da morte da ativista sabiam exatamente o que estavam fazendo, quais as consequências advindas e para quem era o recado.
Pois bem, democratas, progressistas, esquerda em geral uni-vos!
O povo , diferentemente do que alguns acreditam, tem que ir pras ruas, e de lá não sair. É necessário, sim, grandes mobilizações, insurreições. Revoltas. Não tolher a cidadã ou cidadão indignados. Ele tem o direito de gritar, de se expressar. Seja de que modo for. Quem não quer estas manifestações tem medo do quê? De que o país sofra golpe de estado ou sofra mais do que está sofrendo? Aí seria ingenuidade, muita ingenuidade, não é mesmo?
É preciso paixão e firmeza nos atos. Fora disso, é o abismo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome