Negros são metade dos infectados por COVID em SP. Classe E é a mais atingida

A classe social mais atingida na pandemia de coronavírus é a E, com um 15,1% das pessoas desse estrato contaminadas. Na classe B, o percentual é de 2,2%

(Andre Coelho/Bloomberg/Getty Images)

Jornal GGN – A Prefeitura de São Paulo divulgou nesta quinta (9) dados que mostram como a pandemia de coronavírus atingiu a população de maneira completamente desigual. Embora representem 36% dos moradores da capital, os negros são metade dos infectados pela covid-19.

De acordo com a Agência Brasil, “a doença tem atingido mais pessoas em regiões periféricas e com menor renda. A classe social mais atingida foi a E, com um 15,1% das pessoas desse estrato social contaminadas. Na classe B, a menos atingida, o percentual é de 2,2% e na A, de 5,7%. Nas classes C e D, a prevalência ficou em 9% e 11,5%, respectivamente. Entre os que não tem estudo, 17,7% já tiveram covid-19, percentual que cai para 6,5% entre aqueles com nível superior.”

“O vírus jogou luz na desigualdade social da cidade de São Paulo. É inaceitável que seja três vezes mais perigoso na classe E do que na classe A”, destacou o prefeito Bruno Covas (PSDB), durante a apresentação.

A partir da aplicação de 580 mil testes, o Paço paulistano estimou que cerca de 1,2 milhão de pessoas já foram contaminadas pelo coronavírus na capital. Em comparação com 20 de junho, o número saltou de 9,5% da população para 9,8%.

“Os distritos com maior incidência de novo coronavírus são: Brasilândia (zona norte) , Cachoeirinha (zona norte), Jaçanã (zona norte), Liberdade (centro), Santa Cecília (centro), Cidade Ademar (zona sul), Jardim São Luís (zona sul), Campo Limpo (zona sul), Capão Redondo (zona sul), Parque São Lucas (zona leste), Sapopemba (zona leste), Itaim Paulista (zona leste), Itaquera (zona leste) e Lajeado (zona leste)”, anotou a Agência Brasil.

Leia também:  Refundação do Brasil passa por desencarcerar e descriminalizar a cannabis, diz Valois

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Nenhuma surpresa na pesquisa. Como sempre são os pobres e os pretos os mais atingidos por quaisquer desgraça que ocorre neste país, embora a pesquisa se restrinja ao municipio.

  2. Simples: quem em casa pode ficar?
    Quem teve que trabalhar, fazer entregas, dar assistência a quem estava escondidos em casa? E lembrar que no caso dos entregadores de aplicativos, foram, literalmente escravizados. Até a remuneração foi reduzida.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome