No Rio a chapa Aezão

O senador Aécio Neves dá mostras de querer bater o ex-canditado de seu partido no último pleito, José Serra em índices de rejeição. Ou este último movimento não é claramente no sentido de captar a rejeição automática de parte do eleitorado?

Embora o senador frequente a cidade do Rio de Janeiro parece totalmente distante do sentimento das ruas, e mais grave, creio que nem pela TV ou  através dos jornais conseguiu perceber – após as manifestações de 2013 – como o PMDB de Cabral e Pezão está desgastado no Estado do RIo.

Creio que o eleitorado do Rio vai votar maciçamente em Garotinho (PR), LIndeberg (PT), Jandira Feghali (PCdB) e talvez até no Tarcisio Motta (PSOL.)

 

 

Do Estadão:

 

Em jantar com Aécio, PMDB lança chapa ‘Aezão’ no Rio.

Reunidos pelo presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, líderes de alguns partidos da base do governador Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição, formalizaram nesta segunda-feira apoio ao tucano Aécio Neves na disputa pela Presidência da República e lançaram a chapa “Aezão”: Aécio-Pezão.

Em jantar de quase três horas com Aécio, 45 parlamentares, prefeitos e dirigentes partidários prometeram trabalhar pela vitória do tucano no terceiro maior colégio eleitoral do País. “Quero repetir o que ouvi hoje, que vamos ganhar com o Aezão”, disse o Aécio na saída do jantar, em um restaurante da zona sul.

Os peemedebistas deixaram o encontro com expectativa de que o PSDB feche uma aliança pela reeleição de Pezão, apesar de os tucanos terem feito oposição ao ex-governador Cabral durante sete anos. “Estamos discutindo essa questão, vamos encontrar a melhor forma de estarmos juntos”, afirmou Aécio. “Este é o maior ato político da campanha no Rio de Janeiro. Este é um fato político que demonstra que está acontecendo algo no Brasil que merece reflexão. Setores que em algum momento estiveram na base do governo do PT percebem que quem está sendo punido por esse desgoverno, pelo crescimento pífio, pelo retorno da inflação são os que mais acreditaram no governo do PT”, declarou o tucano.

Leia também:  Estudo mostra que Brasil não terá UTI suficiente mesmo em cenário otimista

Picciani disse que Aécio “é o candidato que tem mais condição de fazer o Brasil avançar com justiça social e distribuição de renda, pelo seu histórico, por sua história, sua trajetória, seu berço e quase trinta anos de mandato”. Ex-aliado do PT, o presidente do PMDB-RJ criticou a presidente Dilma Rousseff e citou a incerteza sobre a candidatura à reeleição ou a volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “O partido dela não sabe se troca ou não o candidato, porque escolheram mal e fizeram mal ao Brasil. Aécio fará bem ao Brasil e ao Rio de Janeiro”, disse Picciani.

O dirigente peemedebista passou a trabalhar pela candidatura de Aécio desde que, no fim do ano passado, o PT-RJ lançou a candidatura do senador Lindbergh Farias ao governo do Estado. Picciani tem arregimentado correligionários para a campanha do tucano apesar de Pezão e Cabral continuarem aliados de Dilma e terem manifestado apoio à reeleição da presidente. É provável que o PMDB-RJ aprove em convenção apoio a mais de um candidato a presidente: Aécio, Dilma e o pastor Everaldo, candidato lançado pelo PSC, também da base de Pezão.

Entre os presentes no jantar, estava o líder do governo Pezão na Assembleia Legislativa, André Correa, do PSD. “Não estou aqui como líder do governo, mas como secretário-geral do PSD. O melhor para o Brasil e para o Rio é a chapa Aezão. Queremos muito o PSDB e o PPS formalmente na aliança do Pezão, vamos discutir até junho. Se a presidente Dilma pode ter quatro palanques no Rio de Janeiro, por que o Pezão não pode ter três palanques, do Aécio, da Dilma e do pastor Everaldo?”, afirmou o líder. Além de Pezão e Lindbergh, outros dois candidatos ao governo do Estado são aliados da presidente: Anthony Garotinho (PR) e Marcelo Crivella (PRB).Também estiveram no jantar dirigentes do Solidariedade e do PSL. 

Leia também:  Manchetes dos jornais da Europa

 

Do 247:

GAROTINHO: “AÉCIO SE JUNTOU AOS SAQUEADORES”

Em referência ao jantar em que o presidenciável tucano Aécio Neves participou com 45 lideranças do PMDB do Rio, presidido por Jorge Picciani, deputado Anthony Garotinho diz que intenção de aliança do tucano pode levá-lo ao desgaste e a perda de votos no estado; “Acho que o jantar vai sair muito caro para o senador Aécio Neves. Ele acaba de se juntar aos saqueadores dos cofres públicos do estado do Rio. Este trio Cabral, Pezão e Picianni destruiu o estado, e colar a imagem com eles vai desgastar o candidato tucano”

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome