“Novo AI-5”: Confira a nota da presidência da Câmara contra Eduardo Bolsonaro

"A apologia reiterada a instrumentos da ditadura é passível de punição pelas ferramentas que detêm as instituições democráticas brasileiras. Ninguém está imune a isso", avisa o presidente da Câmara

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) divulgou nesta quarta (31) uma nota oficial repudiando a declaração de Eduardo Bolsonaro, que defendeu um “novo AI-5” contra eventual “radicalização da esquerda” durante entrevista no YouTube.

Na nota, Maia afirma que atitudes como a de Eduardo são passíveis de punição.

Leia, abaixo, a íntegra:

Uma Nação só é forte quando suas instituições são fortes.

O Brasil é um Estado Democrático de Direito e retornou à normalidade institucional desde 15 de março de 1985, quando a ditadura militar foi encerrada com a posse de um governo civil.

Eduardo Bolsonaro, que exerce o mandato de deputado federal para o qual foi eleito pelo povo de São Paulo, ao tomar posse jurou respeitar a Constituição de 1988.

Foi essa Constituição, a mais longeva Carta Magna brasileira, que fez o país reencontrar sua normalidade institucional e democrática. A Carta de 88 abomina, criminaliza e tem instrumentos para punir quaisquer grupos ou cidadãos que atentem contra seus princípios – e atos institucionais atentam contra os princípios e os fundamentos de nossa Constituição.

O Brasil é uma democracia.

Manifestações como a do senhor Eduardo Bolsonaro são repugnantes, do ponto de vista democrático, e têm de ser repelidas como toda a indignação possível pelas instituições brasileiras.

A apologia reiterada a instrumentos da ditadura é passível de punição pelas ferramentas que detêm as instituições democráticas brasileiras. Ninguém está imune a isso. O Brasil jamais regressará aos anos de chumbo.”

Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. Será que o Presidente do Congresso, o Ministério Público e Supremo Tribunal Federal vão deixar por isso mesmo? Dizer que merece punição esse crime, porque de crime se trata, não tem o condão de arrefecer o ímpeto criminoso do deputado. Na realidade, o calhorda do Eduardo Bolsonaro está cometendo um crime contra a Segurança Nacional, ameaçando o regime constitucional, a República e a Democracia, ainda vigentes no Brasil. Está incitando, principalmente as Forças Armadas a atuarem no sentido de fechar o Congresso, afastar Ministros da Suprema Corte, por as tropas na rua e reprimir com a força das armas quem se oponha a força do golpe militar que vislumbra. Não é um crime qualquer, tendo o pai como presidente e Comandante das Forças Armadas, certo que julga ter respaldo para agredir dessa forma nossas instituições e as demais instâncias de poder do país. Não dá para ficar por isso mesmo. Basta!

  2. Tá sr. Maia, belo discurso!
    Mas que atitude será tomada contra este aprendiz de ditador?
    Esta famiglia vem extrapolando desde “o cabo e o soldado fechar o stf”. Então, cassar o mandato de um sujeito abjeto como este será o exemplo que não deixará dúvidas sobre o quanto as instituições brasileiras estão fortes e a salvo de qualquer nova investida de forças da ditadura.

  3. Uma pergunta:Seriam esses os ventos que levavam as folhas e ninguem percebia? O marasmo inquietante?O ar respirando medo? As nuvens negras avançando rapidamente antevendo um rastro de destruição e mortes?Nem o Pai de Santo Facador,amigão de Nassif previu porra nenhuma.Eu previ e registrei.É só procurar.

  4. O que Rodrigo Maia disse na frase abaixo??

    As ferramentas que PRENDEM as instituições democráticas brasileiras também poderiam impedir a volta do AI 5??

    “… apologia reiterada a instrumentos da ditadura é passível de punição pelas ferramentas que detêm as instituições democráticas brasileiras. Ninguém está imune a isso. O Brasil jamais regressará aos anos de chumbo.”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome