O Brasil como um todo está entrando num clima de ódio.

A direita brasileira babando como um cão raivoso tem demonstrado a longo tempo o ódio que destila para todos os lados. Destila contra os partidos mais a esquerda, destila contra países e movimentos também esquerda e com tudo que é diferente daquilo que eles idealizam ser, brancos, ricos, bonitos e charmosos.

Porém nas reações aos atentados na França de verifica que este ódio não é mais uma característica da direita, temos dezenas de pessoas que de forma desumana, simplesmente pretendem justificar o ataque a um restaurante de comida oriental, uma pizzaria, passantes na rua, torcedores de um jogo de futebol ou ainda pessoas que assistiam a um show de Rock, uma espécie de vitimologia política do povo francês. Ou seja, principalmente pelas agressões dos Estados Unidos ao Iraque e outros países e pela quantidade de mortos nestas agressões, justifica-se em parte a morte destas pessoas.

Nas diversas intervenções destas diversas pessoas de uma pseudo-esquerda, primeiro faz-se uma pequena homenagem aos mortos dizendo que estes não deveriam morrer desta forma, depois se relativiza um pouco o ataque deste grupo criminoso internacional.

Quando o estado Islâmico persegue os Curdos, vozes fervorosas se levantam contra esta organização, quando o mesmo mata em combate as tropas do Hezbolah que procura defender o governo legal da Síria, todos falam da truculência do EI, quando estes mentecaptos degolam indiscriminadamente homens e mulheres com os braços amarrados, são todos caracterizados como a pior espécie animal que vive na face da Terra. Todos os argumentos completamente corretos e que concordo com os mesmos, porém quando estes atacam pessoas do povo na França, sem discriminar cor, ideologia, religião ou etnia, estes tem sempre uma pontinha de responsabilidade.

Se a mesma coisa tivesse ocorrido há três ou quatro anos, provavelmente estas vozes não apelariam para a vitimologia para interpretar os crimes do EI, simplesmente considerariam da mesma forma os franceses, como sírios ou nigerianos que estão sofrendo na carne a violência do EI, entretanto hoje há sempre um Porém.

Isto é produto da raiva e do ódio que permeou a partir da direita contaminando de forma definitiva a mente de muitas pessoas de esquerda.

A morte de qualquer um que se encontra num café, num espetáculo de Rock ou num jogo de futebol, não tem justificativa, pois como diz o próprio Al Corão, quem mata um inocente mata a humanidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora