O mistério do submarino alemão que afundou em Santa Catarina há 71 anos

Do diariocatarinense

TEXTO: VICTOR PEREIRA

ARTE: FÁBIO NIENOW

EDIÇÃO: SICILIA VECHI

Câmeras em alta definição irão desvendar o interior de submarino de guerra intocado há 71 anos no fundo do

mar em Santa Catarina

 

Desbravar os mares sempre esteve no DNA da família Schurmann, primeira do Brasil a dar a volta ao mundo em um veleiro. E antes de partir para outra destas aventuras, a Expedição Oriente, em setembro, Vilfredo, Heloisa e companhia pretendem ir ainda mais a fundo – literalmente – na exploração dos oceanos. Com inédita autorização da Marinha, os

Schurmann programam para março uma nova expedição ao submarino nazista U-513, afundado em 1943 na costa catarinense e encontrado por eles próprios, em julho de 2011.

A diferença da época em que o submersível foi localizado, quando foram feitas imagens externas da embarcação, é que agora a expectativa é filmar o interior do U-513 – e em alta definição.

Liderando o projeto, Vilfredo conseguiu autorização para que robôs entrem no submarino. As conversas duraram mais de um ano e a aprovação esbarrava em questões que envolviam a memória do submersível, hoje um túmulo de guerra. O acordo foi firmado após reuniões em Brasília com a Marinha e o Ministério da Defesa, em que toda a operação foi extremamente detalhada. O sinal positivo veio com o compromisso de que nada do que ainda estiver dentro da embarcação – como restos mortais e armas – será mexido.

– É a primeira vez que se faz esse tipo de exploração no Brasil e queremos resgatar uma parte importante da história – destaca Vilfredo.

A expedição a 83 quilômetros da Ilha do Arvoredo, perto da costa deGovernador Celso Ramos, será entre os dias 15 e 20 do próximo mês. A estrutura inclui duas embarcações, dois robôs e 1,5 mil quilos de equipamentos. Se o tempo permanecer bom, serão realizadas pelo menos oito descidas ao fundo do mar.

Leia também:  Manchetes dos jornais dos EUA

A expedição será patrocinada por Tractebel Energia, Fugro e Totvs, com apoio da Secretaria de Esporte e Cultura de SC, Shaw Brasil, Univali e Evolution Empresas.

 

ÁREA DA EXPEDIÇÃO

1

2

3

4

5

VELEIRO AYSSO

Será usado como apoio ao barco pesqueiro.

 

BARCO PESQUEIRO

Os equipamentos serão instalados no barco de pesca tornando-se um barco de pesquisa para realizar a expedição. O barco que será usado na aventura ainda não foi escolhido, mas ele deve ter no mínimo 24 metros de comprimento com seis metros de largura (boca).

A MISSÃO

SUBMARINO U-513

Os Schurmann já têm captados 2 Terabyte  de imagens externas do submarino

4 – 5

<

>

LINHA DO TEMPO

 

João Barone

é baterista do grupo Os Paralamas do Sucesso e publicou dois livros sobre a Segunda Guerra

Tesouro cultural inestimável

 

Esta operação é realmente um grande resgate histórico. Os submarinos nazistas afundados nas águas brasileiras têm suas posições de afundamento conhecidas nos arquivos da Marinha, mas a iniciativa de registrar imagens de um destes vasos de guerra em seu leito de morte é inédita no Brasil. A frente do Atlântico Sul foi uma página dramática, fez o Brasil entrar em guerra, devido aos traiçoeiros ataques aos nossos navios mercantes. Isso certamente vai ajudar mais gente a tomar conhecimento desta história de valor de nosso país.

Sobre a contribuição, este projeto não tem preço. Seus custos são elevadíssimos, é preciso tecnologia de ponta para a realização, mas o resultado é um tesouro cultural inestimável. Vai além do que os interessados na Segunda Guerra esperam e apreciam, vai levar esta história para muito mais longe.

Leia também:  Obra de professor brasileiro é considerada a mais importante do constitucionalismo moderno

Ficou comprovado o alto poder de destruição destes submersíveis nazistas, o que demandou enormes recursos para que fossem combatidos.

Os americanos chegaram com seu conhecimento e tecnologia para as patrulhas e varreduras no combate aos chamados U-boots em nossas águas. Mesmo depois de 1944, ainda havia a ameaça de um destes submarinos aparecer de surpresa. Só mesmo com o fim das hostilidades é que terminou a frente de combate em nossas águas. A Marinha Brasileira e nossa Força Aérea ganharam muita experiência neste contexto, tanto material quanto intelectual.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Eles pediram autorização ao

    Eles pediram autorização ao governo brasileiro após ter seu pedido recusado pelo Governo Alemão que solicitou que deixassem o submarino em paz.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome