O que pensa Carlos Wizard, o homem que anunciou a recontagem de mortes por covid-19

Sem experiência na saúde, Wizard afirmou que isso não é um problema para sua atuação no Ministério e que pretende desenvolver estratégias para o governo em meio a pandemia

Carlos Wizard e Jair Bolsonaro. | Foto: Reprodução/Instagram

Jornal GGN – Seguindo a linha de Jair Bolsonaro (sem partido), o novo secretário da pasta de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Wizard, defende o uso cloroquina para casos leves do novo coronavírus. Segundo o empresário, a droga pode beneficiar a curva de risco que o Brasil irá enfrentar da doença. 

Sem experiência na saúde, Wizard afirmou em entrevista ao Uol que isso não é um problema para sua atuação no Ministério e que pretende desenvolver estratégias para o governo em meio a pandemia. 

“Eu não sou médico, o ministro [Pazuello] não é médico e tampouco o presidente da OMS [Tedros Adhanom] é médico. Observe que nosso papel é muito mais de enfrentar uma crise, considerar as alternativas, as possíveis soluções. Nós contamos com equipes de profissionais médicos, autoridades altamente qualificadas que servem como consultores para que nós possamos tomar as decisões”, afirma o empresário

O convite para Wizard ocupar a secretaria foi feito pelo chefe interino do Ministério da Saúde, general Eduardo Pazuello. Desde de fevereiro, ele será o terceiro a tomar posse da pasta. 

“É um cenário novo. Enquanto você é o presidente de empresa no setor privado, se você amanhece num dia, [olha] a cor da parede, azul, e diz ‘a partir de hoje vai ser cor de rosa’, tudo que você precisa fazer é chamar os pintores. Já no setor público, eu vou ter de passar por muitos encontros, aprovações, intermediações, protocolos, esperas e hierarquias até, finalmente, ser aprovada a pintura da parede de cor de rosa”, disse ao Uol.

Wizard também é defensor do uso da cloroquina no tratamento da covid-19, mesmo sem comprovações científicas sobre a eficácia do remédio.

“Vejo [a adoção de cloroquina] de uma forma muito tranquila, segura, com bastante convicção e sem qualquer margem de dúvida. As pessoas pensam que a cloroquina foi lançada em 2020, pelo contrário: faz 70 anos que esse medicamento está no mercado. Está sendo consumido pelo mundo inteiro”, afirmou. 

Leia mais sobre a gestão de Bolsonaro no Ministério da Saúde em meio a pandemia:

General Pazuello esconde do mundo dados da Covid-19 no Brasil

Coronavírus no Brasil vira caixa-preta com sonegação de dados e revisão de mortes

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora