Oh céus, estou no Facebook. Socorro!!!

OBSERVAÇÃO: Tenho pedido que meus últimos posts não se tornassem/tornem posts centrais. Obrigada aí, pessoal do blog.

Aniversário.

Filha me convencendo a ter uma conta no Facebook. Pergunto-lhe para quê. “Você gosta de postar bastante coisa, mãe. Gosta de ler o que os outros acharam” É pouco, filha. Argumente mais. “Tá, então no youtube. Você já tem seus versos por lá. Vejo sempre”. Por que teria um canal, filha. Com que finalidade nessa altura da minha vida… “Pense bem, mãe”. Escuta, mas você está no Face? “Eu não, detesto. Tenho linkedin por motivos profissionais e twitter, só”. Então?!

Conversa com filho, dez anos mais novo. “C. não entende nada, mãe. Você não vai gostar, eu sei. Não é sua praia, você por acaso aguentaria aquela coxinhada toda sem reagir? Não, né, vai sofrer à-toa. E o nível… se prepara … clichê sobre clichê” Mas, por exemplo, ela me esclareceu que posso aceitar só algumas pessoas etc. etc.” “Todos os seus antigos amigos, companheiros de trabalho desses milhões de lugares em que você trabalhou, vão aparecer, querer saber de toda a sua vida e pior, você vai ficar sabendo de tudo que atualizam. Você vai suportar isso. E olha que é cada bobagem… Duvido que você aceite isso  Vai se ver na obrigação de contar que foi ao cinema, saiu com o namorado, almoçou na tia. Mãe, mãe, melhor não. Eu te conheço”.

Tendo ouvido meus conselheiros-mor, sabem bem mais que eu, principalmente nesses caminhos e cruzadas, resolvi desobedecer- como sempre – e entrei nessa praça de guerra de EGOS DILATADÍSSIMOS – o Face.

De imediato, escrevi o primeiro nome – que já é raro- e o segundo nome, não o último, nem o completo, como sou conhecida profissionalmente. Acho que ficarei um pouco mais clandestina, né.

Parecia pão de padaria descoberto. Uma nuvem de moscas e abelhas imediatamente me localizaram. Oh, meu Deus, que sou muito conhecida por aí, Rio, Santos, Salvador, São Bernardo, Cotia, São Paulo, Barbacena. E agora?

Tenho que distribuir todos os crachás, ao mesmo tempo, tenho que lembrar quem é quem no tiroteio. Tudo em nano segundos.Isso porque ainda não completei nada na minha ficha da KGB, nem do FBI exigida lá. Só umas musiquinhas, uns filminhos, a USP… já é bastante para eles depois me venderem tudo aquilo que sei que quererão.

Oh, Deus, dá-me tempo para Facebook.

Meus primos e primas daqui de Barbacena, faz dois anos que me assediam explicitamente para adentrar a esse recinto indecoroso. A cada festa é uma cantada, um apelo, uma solicitação ardorosa. Resisto. Peço sempre, por favor, as fotos que estão tirando comigo não compartilhem, ok. Riem. Respeitam. Para convencê-los, com “certa” gracinha, digo-lhes que sou modelo fotográfico da… da … já perdi a atualização das agências mais famosas. Hoje só se fala da tal pasta rosa- do book cor-de-rosa!

E a fofocaiada, UAU!

Minha filhota me confronta dizendo que o tal caderninho de perguntas e respostas do passado, no qual apareciam perguntas a cada página a serem respondidas e uma numeração , onde quem escrevesse leria as respostas anteriores: “Qual o seu time; qual o seu prato predileto; quem você levaria para uma ilha deserta…-  já era rede social. E até o caderninho de recordações já era Face, pessoas escreviam mensagens ali, copiavam poemas etc. Até agendas das meninas, compartilhadas por outras, com papeizinhos de balas, beijos de batom, tíquetes de cinema, teatro já o eram.

É, pode ser.

Ao vencedor, as batatas !

Estou no Facebook.

 

COMPARTILHANDO UM POEMA (postado no FACE por minha mais querida amiga Heloísa Cerri Ramos ontem)

 

DESPOJAMENTO

 

Eliminei o excesso de paisagem
simplifiquei toda a decoração
retirei quadros flores ornamentos
apaguei velas copos guardanapos
e a música
Bani a inutilidade do discurso
Na mesa de madeira
nua
apenas dois pratos
brancos
sem talheres
O banquete será tua presença

 

(Ivo Barroso, Mais/ Folha de São Paulo/ 18 de abril de 2004)

 

PARA NÃO SAIR DO CLICHÊ DO FACE

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

19 comentários

  1. Coisas de Facebook. Oh, meo deós
    Ariadne Pizzi

    Texto para todas as mulheres que se sujeitam a serem amantes de um homem casado.

    “Então você acha que ele não ama a mulher dele só porque saiu contigo? Engano seu minha querida, ninguém é obrigado a ficar casado por causa de filhos e dinheiro. Ele que pague uma pensão e peça guarda compartilhada.
    Se ele gosta tanto de você, por que você passa Natal sozinha e Dia dos Namorados com um presente barato, ou até mesmo sem presente?
    Que poder é esse seu na cama que não te garantiu uma aliança no dedo ainda? Ou se garantiu, não é a oficial, abençoada por Deus, certo?
    Ou você faz uma merda de sexo, ou transar pra ele não é algo que prenda sentimento.
    Ta rindo porque ela é corna? Ok, tudo bem. É corna mas dirige o carro dele, é corna mas tem prioridade em tudo que ele faz, é corna mas quem faz ele dormir no sofá quando mandado é ela! E depois ele vem todo obediente fazendo tudo que ela mandar.
    E você? Você é apenas um deposito de espermas, que fica toda feliz quando um homem sem auto estima e mal resolvido resolve te chamar de linda e dizer que te ama, mentindo na cara dura.
    Aprenda: um homem trai sim. Trai por insegurança, por carência, por vingança, por raiva, por tesão. 
    Mas amor de verdade e dedicação… Ahhhh, isso você não tira do marido de ninguém!”

     

  2. “Livre pensar é só pensar …” (*)

    Emprestada do Millôr (*)

    – Achei que já tinha visto de tudo, mas homem alcoviteiro?  Feio; qualquer que seja o motivo. Decepção.

    – Nem mamãe, nem papai jamais cuidaram de arranjar e manter um namoradinho para mim. Deve ser isso.

    – Entendo tudo: safadeza, carência (ô!!), desejo (Nossa! Faz a gente perder/querer perder a cabeça, perder tudo!!!) Mas tem umas outras coisas que eu não entendo. Deixa pra lá.

    – Não sei choramingar. Defeito grave.

    – Bandeira vermelha hasteada. Homenagem ao PT ou à Dilma ? Kkkkkk.  

    – Ter ferido, isso dói. Magoar. Derramar todo o leite. Mas não adianta chorar: o playboy perdeu e eu também.

    – Essa tal de Psiquê é mesmo *oda.

     

    Odonir, adorei teu post.  Vou voltar para o trabalho que o meu é suadinho e só vem mesmo do meu bolso!

    Beijo!

    Esta canção é para mim!!

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=OmBxVfQTuvI%5D

     

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome