OMS critica discurso antivacina de Bolsonaro

Diretor-geral da entidade diz que as pessoas não devem ser confundidas por movimentos antivacina, mas ver como elas foram usadas para erradicar doenças

Jornal GGN – O discurso antivacinação de Jair Bolsonaro foi alvo de críticas da Organização Mundial de Saúde (OMS) nesta sexta-feira. O diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom Ghebreyesus, se pronunciou após questionamento sobre o comentário do presidente brasileiro, que declarou que não vai obrigar ninguém a tomar vacina.

Segundo Tedros, os números das vacinas podem contar sua própria história, enquanto os movimentos antivacinação podem criar narrativas para lutar contra ela. “As pessoas não devem ser confundidas por movimentos antivacina, mas ver como o mundo usou vacinas para combater a mortalidade infantil e para erradicar doenças. Olhe os relatórios das vacinas, olhem vocês mesmos, especialmente os pais, como as vacinas mudaram o mundo. Esperamos ter uma contra a covid para o mundo voltar ao normal”, disse, segundo informações do portal UOL.

A declaração de Bolsonaro foi dada a apoiadores na frente do Palácio da Alvorada, em Brasília. Um de seus seguidores disparou: “Ô, Bolsonaro, não deixa fazer esse negócio de vacina, não, viu? Isso é perigoso”. Em resposta, o presidente declarou: “a vacina… ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina”.

 

Leia Também
GGN Covid Brasil 04.09: curva de casos continua caindo muito lentamente
Secom reafirma discurso de Bolsonaro sobre vacina: ‘ninguém é obrigado’

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora