OMS diz que ‘ainda é cedo’ para declarar emergência mundial sobre coronavírus

Organização considerou que ameaça está restrita à China. Surto da doença já provocou 26 mortes e infectou 897 pessoas

Foto: Kin Cheung/AP

Jornal GGN – A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta quinta-feira, 23 de janeiro, que ainda é “muito cedo” para considerar emergência mundial de saúde pública a epidemia do coronavírus. O surto da doença já provocou 26 mortes e infectou 897 pessoas, segundo levantamento da agência estatal CGTN divulgado nesta sexta-feira, 24 de janeiro. 

“É um pouco cedo para considerar se esta é uma emergência global de saúde de preocupação internacional”, disse o presidente do painel do Comitê de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Didier Houssin, em Genebra. 

O diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que o Comitê de Emergências está dividido nas opiniões. “Não se enganem, porém, esta é uma emergência na China. Mas ainda não se tornou uma emergência de saúde global, mas pode se tornar uma”, disse. 

Além da China, outros 15 casos de coronavírus foram confirmados em 8 países. Os Estados Unidos confirmaram nesta sexta-feira, dia 24, o segundo caso da doença, desta vez em Chicago.

No Brasil, o Ministério da Saúde descartou na quinta-feira, 23 de janeiro, a suspeita de cinco casos. Na quarta-feira, dia 22, a pasta criou o Centro de Operações de Emergência (COE) – Coronavírus, a fim de preparar a rede pública de saúde para o atendimento de possíveis casos.

A própria OMS aconselhou que os países não afetados estejam preparados para eventuais soluções frente ao vírus. Mas, mesmo com propagação da infecção nos países asiáticos, a Organização não fez restrições amplas a viagens ou ao comércio, apenas medidas de contenção como triagem na saída dos aeroportos, segundo informações do Brasil de Fato.

O primeiro caso de infecção pelo coronavírus foi registrado na cidade chinesa de Wuhan, em 31 de dezembro. Entre as pessoas infectadas, os sintomas mais comuns são febre, tosse e falta de ar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Um exemplo da falta de governo: o que fazer com municípios que fecham a entrada?

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome