Os pedidos de Romário a Aldo Rebelo

Jornal GGN – O ex-jogador e atual deputado Romário, em carta ao ministro dos Esportes Aldo Rebelo, pede a liberação do dinheiro do Fundo da Confederação Brasileira de Clubes, que, segundo o deputado, já acumula mais de R$ 100 milhões e deve ser destinado para a formação de novos atletas. Romário afirma, também, que já pediu ao ministro uma Medida Provisória que impeça o repasse de verbas públicas para entidades sem alternância de poder, com o objetivo de impedir que dirigentes se perpetuem no poder dos clubes.

Por último, chama a atenção para a proposta do deputado Otávio Leite, que debate a dívida dos clubes e que propõe tornar a seleção e o futebol brasileiros um Patrimônio Cultural Imaterial, fazendo com que a CBF pague 5% sobre as receitas de comercialização de produtos e serviços proveniente da atividade de Representação do Futebol Brasileiro.

Enviado por almeida

Do blog do Juca Kfouri
 
 
De: Romário
 
Para: Aldo Rebelo
 
Fiquei muito feliz com a fala do ministro do Esporte, Aldo Rebelo. Espero que ele aceite as propostas que eu enviar para o Ministério a partir de agora, apesar de ter declarado que eu nunca apresentei nenhuma.
 
Recordo de pedir a ele, em reunião no seu gabinete, a liberação do dinheiro do Fundo da Confederação Brasileira de Clubes. O montante já acumulou mais de R$ 100 milhões, desde sua criação em 2011, quando uma alteração na Lei Pelé garantiu a destinação 0,5% dos 4,5% repassados ao Ministério do Esporte pelas Loterias. De acordo com a lei, este dinheiro será usado exclusivamente para a formação de novos atletas e depende apenas do ministro criar critérios para liberar os recursos. Nunca obtive resposta sobre a liberação deste montante. Ainda está parado, ministro?

 
O encontro foi registrado e publicado no meu site dia 2 de outubro de 2013:http://www.romario.org/news/all/romario-discute-calendario-campeonato-brasileiro-com-o-ministro-esporte/
 
Antes disso, eu pedi ao ministro em um jantar no meu apartamento em Brasília que ele editasse uma Medida Provisória impedindo o repasse de recursos públicos para entidades esportivas sem alternância de poder. O pedido foi feito diversas vezes publicamente também. O objetivo era estancar a enxurrada de mandatos seguidos de cartolas que se perpetuam no poder com gestões não profissionais matando diversas modalidades esportivas. O ministro poderia fazer isso, um projeto de lei demora anos para tramitar, a MP tem efeito imediato, mas ele também não atendeu. Proposta semelhante foi aprovada na Câmara em uma ação da ONG Atletas Pela Cidadania posteriormente.
 
O link que comprova meu pedido está aqui, publicado pelo site da Câmara dos Deputados, em 27 de novembro de 2012: http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/ESPORTES/426896-DEPUTADO-PEDE-FIM-DE-REPASSE-A-ENTIDADE-ESPORTIVA-SEM-ALTERNANCIA-DE-PODER.html
 
Agora, ministro, a bola está quicando novamente. Faço aqui o pedido público e espero ser atendido desta vez. Peço que o Sr. e a Excelentíssima presidente Dilma Rousseff apoiem a excelente proposta do deputado Otávio Leite, apresentada no âmbito da Comissão Especial do Proforte, que debate a dívida dos clubes. Os artigos 36, 37, 39, 40 e 41 foram os retirados da proposta, em resumo, eles propunham o seguinte:
 
Constituíam a Seleção Brasileira de Futebol e o Futebol Brasileiro como Patrimônio Cultural Imaterial; obrigavam a CBF a contribuir com alíquota de 5% sobre as receitas de comercialização de produtos e serviços proveniente da atividade de Representação do Futebol Brasileiro nos âmbitos nacional e internacional. O tributo também incidiria sobre patrocínio, venda de direitos de transmissão de imagens dos jogos da seleção brasileira, vendas de apresentação em amistosos ou torneios para terceiros, bilheterias das partidas amistosas e royalties sobre produtos licenciados. O valor seria destinado a um fundo de iniciação esportiva para crianças e jovens. A CBF também ficaria sujeita a auditoria do Tribunal de Contas da União.
 
Ministro, curiosamente, tanto o Sr. como o presidente da Câmara dos Deputados pediram a retirada destes artigos, alegando que com eles a proposta não seria aprovada. Fica a pergunta, o ministério vai apoiar estas propostas? Aguardo a resposta.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

11 comentários

  1. Romário

    Sem dúvida algumas propostas do Romário são interessantes.

    Só não consigo esquecer que ele foi autor de críticas grosseiras a Pelé e Zico. Embora saiba que Pelé haja em função de interesses comerciais próprios, a frase do Romário  sobre ele (“Pelé calado é um poeta”) é de um desrespeito ao brasileiro mais bem sucedido do mundo que só pode atribuída à inveja.

    E não consigo esquecer que o Romário fez contratos milionários com Vasco e Flamengo, sabendo que estes clubes não conseguiriam honrá-los. Estes contratos, quando rompidos, geraram uma dívida milionária e perpétua a estes dois clubes. Obviamente, só os conseguiu pela irresponsabilidade dos dirigentes destes dois time. E quando digo irresponsabilidade, quero dizer um tipo de comportamento semelhante a Maluf, Juiz Lalau e outros.

    E também não consigo esquecer que Romário considera-se amigo de um destes dirigentes (Eurico Miranda) em quem ele diz confiar plenamente. 

     

    • Respeito de quem, cara pálida?

      Pelé é aquele que assina Edson Arantes do Nascimento, e que se refere a ele mesmo na terceira pessoa, como se pudesse isoalr o fato de que o jogador que fez mil gols e pediu pelas criancinhas, ignorou Sandra até sua morte, mesmo após o exame de DNA, sendo ela fruto de uma “escapadela” do ilustre, ao bom estilo canalha-machista-latino?

      Ou será o cara que disse que Democracia é um problema porque o povo não sabia votar?

       

       

  2. Dá para fazer uma medida

    Dá para fazer uma medida provisória acabando com o “mercenarismo” (existe esta palavra?) de muitos esportistas e dirigentes esportivos? Outra pergunta, quando a prefeitura de SP retomará os terrenos, grandiosos e valiosos, emprestados a troco de nada aos grandes times ali na Marquês de S. Vicente? Estes times não têm dinheiro? 

  3. “Romário afirma, também, que

    “Romário afirma, também, que já pediu ao ministro uma Medida Provisória que impeça o repasse de verbas públicas para entidades sem alternância de poder, com o objetivo de impedir que dirigentes se perpetuem no poder dos clubes.”

     

    Deputado quer que executivo elabore lei via medida provisória  para depois reclamar da “ingerência” do executivo no legislativo. Pode isso?

  4. Aproveitando a campanha,

    Aproveitando a campanha, Deputado? Quando era jogador aceitou tudo isso e muito mais, porque um dinheirinho sempre vai bem né? Agora que é um ilustre deputado, mudou de opinião, o que é muito louvável, e também mais fácil. Mas faço uma sugestão: por que o ilustre deputado não vai ralar em busca de apoio junto aos seus colegas congressistas? Não é assim que se aprovam os projetos de Lei? Por que exigir uma MP? Só para colocar o governo na fogueira, óbvio. Parece que o deputado deixou de ser jogador, mas não deixou de jogar. Vá angariar votos com os aliados do seu candidato; procure o DEM, o O PSDB e todos os baluartes da ética no Congresso. Tenho certeza de sua proposta sairá vitoriosa.

  5. Ora, quando é que alguns

    Ora, quando é que alguns poucos beneficiários dos 5% votarão para que os mesmos 5% sejam destinados à todos?:

    NUNCA!

    Esses 5% que seriam destinados ao país já fazem parte do caixa que a CBF tem para remunerar a bancada da bola, que esta ai justamente para impedir o que se pretende fazer!

  6. Pedido absurdo

    Impedir, via MP, repasse de verba a entidade que não tenha alternância de gestão. Ok, vamos lá:

    1) As entidades desportivas são entidades privadas. os critérios para recebimento e aplicação de verbas públicas são estabelecidos em Lei, a esfera de governo concedente pode fiscalizar à vontade e o MP, Tribunal de Contas, qualquer do povo e o Legislativo também. Então, os mecanismos de controle já existem. Se não são utilizados são outros quinhentos, e aí o problema não está mais na entidade, e sim no governo concedente;

    2) Os dirigentes das entidades são eleitos pelos membros destas. Interferir na gestão das mesmas, sem critério técnico plausível, apenas por não existir “alternância de poder”, é absolutamente impossível, diante da Constituição. Imagine se a mdoa pega e o Governo Federal resolve reter o repasse de verbas para municípios sem alternância de poder, para evitar destinação de recursos para partidos que se pertuam no poder com gestões desastrosas, matando diversos municípios?

    3) Qual o critério de “alternância de poder”? Gestões de grupos rivais, ou dirigentes diferentes mas que sejam do mesmo grupo? Se pai e filho se alterarem, sendo de grupos rivais, tá valendo? Perceberam a dificuldade de se legislar sobre um entendimento subjetivo?

  7. A coerência é uma merda.

    É difícil ser coerente na vida, principalmente quando se cobra coerência alheia. Veja o exemplo: cobra-se coerência apenas de Romário, pelo seu comparecimento em Johannesburgo no lançamento do logo da Copa, ao lado de Blatter e Ricardo Teixeira; mas “esquecem” de cobrar a presença do ministro Orlando Silva e do próprio Lula erguendo a mão do Ricardo Teixeira no mesmo palanque. É phoda ser coerente, não?

    Romário saiu da cerimônia em 2010 e foi cuidar de sua candidatura ao parlamento, para dali fiscalizar a CBF e a organização da Copa. Ele era sincero em defender a Copa no Brasil, mas não a queria manchada pelas marucutaias que ele sabia existente no mundo do futebol. Cumpriu um mandato correto e bastante coerente com o que se propôs: fiscalizar a Copa e o futebol brasileiro. Políticos experientes e jornalistas veteranos na cobertura do congresso ficaram surpresos com sua atuação, que não se limitou a assuntos esportivos e ao papel fiscalizador, foi propositivo e sensível a reivindicações de outras áreas.

    Veja o destaque que lhe concedeu a Academia Brasileira de Ciências. Quando menos esperavam, no estilo que o consagrou no futebol, o Baixinho pintou na área e, nas palavras da Academia, meteu um gol de placa para o desenvolvimento científico brasileiro:

    “Embora a imprensa destaque a atuação do deputado federal  Romário de Souza Faria ligada principalmente ao esporte, o parlamentar também tem demonstrado ser um representante da comunidade científica brasileira. Um dos mais recentes gols de placa do ex-centroavante da seleção brasileira é o Projeto de Lei  4411/2012, cujo objetivo é alterar a lei 8.101/1990, para eliminar as dificuldades que os pesquisadores enfrentam no processo de importação de produtos…

    … O que o motivou a elaborar o PL 4411/2012?

    Romário: Uma das minhas bandeiras de atuação é a atenção às pessoas com doenças raras. Estas enfermidades, também conhecidas como doenças órfãs ­- por terem baixa incidência – normalmente não têm cura, são graves, degenerativas e causam grande sofrimento a inúmeras famílias. É aí que entra a pesquisa científica. Medicamentos e cura só podem vir pela ciência, e por isso temos que incentivar o setor. O projeto é fruto de uma mobilização de pesquisadores, pois foram eles que me procuraram quando souberam da minha atuação na área de doenças raras”.

    Fonte: http://www.abc.org.br/article.php3?id_article=2638

    Agora cobram do Romário a investigação da “parceria promíscua Globo/CBF”, mas também se “esquecendo”, do pedido do deputado por uma CPI da CBF – onde as relações promíscuas da federação poderiam ser investigadas – que está engavetado pela mesa da Câmara. E de modo conveniente, “esquecem” de novo, de cobrar do maior partido na Câmara e sua base aliada, desengavetar essa CPI para espetá-la na goela da Globo. Quem é que está sendo incoerente em não investigar as relações promíscuas da CBF?

    Chamam de oportunista o Romário, porque neste momento expõe sua opinião sobre os desmandos no futebol brasileiro. Se ele, como um reconhecido futebolista presente no Congresso Nacional, ficasse nessa hora calado, seria acusado de omisso. Está coerentemente no seu papel, não apareceu com nenhuma proposta ou denúncia improvisada de última hora, tudo que expõe é coerente com o que construiu desde o início de seu mandato. Com o mesmo faro que tinha para dar o bote certo na hora do gol, ele percebeu a oportunidade que se abriu para mudar o esporte brasileiro, que a hora de virar o jogo é agora. Se isso é oportunismo, que viva esse “oportunismo”.

    Vejo uma reação negativa ao Baixinho de pessoas identificadas com o PT e PCdoB. Coisa de militansos, aloprados e desinformados, pois se fossem na página do TRE-RJ, veriam que Romário é o candidato ao Senado na Coligação Frente Popular PT/PV/PSB/PCdoB. A coligação oferece ao povo fluminense, a oportunidade de dar ao esporte brasileiro um mandato no Senado, para um candidato sensível também a outras causas justas além do esporte, que comprovou coerência com as bandeiras do seu programa, coisa rara num Congresso povoado de verdadeiros oportunistas que traem os compromissos de suas campanhas. Sinceramente, acho que gol contra o Rio é dar oito anos de senado para o césar mala, prefiro Romário em campo; mesmo que não faça mais nada, barrar aquele cabeça de bagre já é uma grande jogada, para o Rio e para o Brasil; deixar o “menino maluquinho” entrar é entregar o jogo.

    Seria muita incoerência das seções fluminenses desses partidos combaterem o Romário na sua atuação. Acho que isto é coisa das direções nacionais desses partidos. No passado, o PT nacional fez sua seção no Rio engolir a candidatura Garotinho; hoje preferem ficar ao lado de um pereba que a todo momento pisa na bola e trai a ideologia de fachada que ostenta apenas na estampa, o deputado ruralista Aldo Rebelo, serviçal do latifúndio denominado comunista transgênico, membro da bancada da motosserra, filiado a um partido “ideológico” de ex-querda de aluguel, que ao mesmo tempo em que se prende nas tetas federais, fecha coligação com o PSDB em Pernambuco. Mas é do Romário que cobram coerência, para aliviarem a barra do aliado fisiológico. Haja coerência.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome