Osmar Terra: “Não precisa trocar ministro e eu não sou candidato”

"Essa quarentena não tem sentido, só está sacrificando a população, quebrando o país e não diminui o número de casos", afirmou

Jornal GGN – O deputado federal Osmar Terra afirmou nesta terça (7), em entrevista à Rádio Bandeirantes, que Jair Bolsonaro “não precisa trocar ministro” da Saúde e que ele não é “candidato” a substituto de Luiz Henrique Mandetta, atual titular da pasta.

Segundo Osmar, ele defende a imunidade de rebanho há anos e ser contra o isolamento em meio à pandemia de coronavírus, concordando com o presidente da República, é apenas questão de seguir seus princípios.

“O que tenho afirmado é que essa quarentena não tem sentido, só está sacrificando a população, quebrando o país, e não diminui o número de casos.”

Segundo o deputado, “com quarentena ou sem quarentena”, o número de casos vai aumentar. Os estudos que sugerem o distanciamento social para que os hospitais se preparem para absorver a demanda são, em sua visão, “muito bonito na teoria. Na prática, isso não existe.”

“O vírus é uma força da natureza, só vai diminuir o contágio quando chegar à metade da população contaminada. E só vai diminuir a epidemia quando chegar a 80% da população contaminada. Tem que proteger nesses 20% os idosos, pessoas com doenças crônicas. Esse trabalho de proteção é que tem que ser intensificado. Juntar as pessoas em casa aumenta o contágio.”

O GGN analisou discursos, artigos e mensagens publicadas pelo deputado, e mostrou contrapontos aos argumentos equivocados de Osmar Terra:

Leia mais: 11 vezes em que Osmar Terra falou equívocos sobre coronavírus

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Xadrez dos capítulos a serem acompanhados nos próximos dias, por Luis Nassif

7 comentários

  1. Ah, esses apresentadores populares. Quando pegam uma pessoa comum, não perguntam, mas praticamente a acusam diante milhões de pessoas, expondo o pobre diabo a ridículos e-ou humilhações. Quando pegam uma autoridade, deixam ela falar tudo o que quiser sem colocar um contraponto. No caso de Datena, ele consegue ter exclusiva com todo esse governo do mau, a começar pelo Capetão, porque ele está numa fase de cacifar seu nome para voos políticos. É o que dá quando um repórter esportivo que se metia a ser humorista em suas matérias vira apresentador de programa do mundo cão.

  2. Teve uma época em que o meu RS produzia políticos do porte de um Vargas e de um Brizola. Hoje produzimos Osmar Terra e Onyx Lorenzoni….

  3. Tremendo “7”.
    Ainda nao é candidato mas tá cavando. E se entrar vai continuar cavando, só que a nossa sepultura.

  4. Ante-ontem ou ontem (não lembro com certeza) o New York Times publicou matéria informando que o Trump é acionista, através de um fundo de investimento, do laboratório SANOFI, que produz a cloroquina, remédio que ele acredita ser ótimo para combater o Covid-19. Seu seguidor fiel (Bolsonaro) também acredita no poder curativo do remédio.
    O Datena também propala as virtudes do remédio, citando até um médico francês. Ontem, diante da resposta do David Uip (tratamento é assunto entre médico e paciente), insinuou que este teria sido tratado com cloroquina.
    O Bolsonaro, é sabido, tem o Trump como guru. Gostaria de saber qual a razão do comportamento do Datena que, no passado foi um jornalista respeitado (ganhou o prêmio Vladimir Herzog).

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome