Paçoca, alimento folclórico brasileiro

A riqueza folclórica do Brasil nos revela, inclusive, a variedade alimentar produzida pelo amálgama étnico formador do país. Vejamos, por exemplo, a paçoca, um alimento forte, gostoso, que consiste normalmente numa mistura de carne-seca e farinha de mandioca, ou milho, às vezes acrescida de rapadura, segundo o etnógrafo e historiador Luís da Câmara Cascudo.

Nutritiva

O poeta Juvenal Galeno cantou o alimento nestes versinhos:

De manhã a minha Rosa
Traz-me paçoca e café
Almoçamos sobre as esteiras
De palmas de catolé
Rodeados dos filhinhos
Maria, João e José.

A comida é de origem indígena, era usada pelos nossos primitivos habitantes. Paçoca que dizer, em língua tupi, esmigalhar à mão, desfiar, pilar, esfarinhar. Paçoca é, portanto, o desfiado. E o alimento preparado com carne assada e farinha, piladas conjuntamente, constituindo isto uma espécie de conserva, apropriada para as viagens do sertão — segundo escreveu o sábio Teodoro Sampaio — viajantes famosos, a paçoca é um prato muito nutritivo e de longa conservação.

Para Spieesze, faz-se a paçoca de carne de boi gorda e seca, assada no espeto e, depois de misturada na farinha, pisada num pilão de madeira, demoradamente, até que a carne fique triturada, e sua gordura bem infiltrada na farinha. Come-se com um pedaço de rapadura.

Composição

Teschauer, em seu Novo dicionário nacional, informa que a composição da paçoca não possui umidade, bem como seu preparo. No Rio Grande do Sul é alimento feito com carne-seca, farinha de mandioca ou de milho. Na Amazônia é a amêndoa da castanha assada e socada socada num pilão com farinha d’água, sal e açúcar. Fica reduzida a pequenos grãos, vendida tal paçoca em cartuchos de papel nas cidade. Pode ser feita também de castanha de caju.

A castanha de caju, de ouriço ou gergelim pilado, é pilada com carne-seca assada, no Pará. Em São Paulo é a carne pilada com farinha, amendoim e açúcar, na palavra de Amadeu Amaral em O dialeto caipira.

Num mesmo Estado, a paçoca pode altera de composição, conforme a região — e por isso o sabor varia. Enquanto no sul da Bahia é feita com banana da terra, no centro e no Norte passa a ser obtida da carne seca pilada com farinha e rapadura.

http://www.jangadabrasil.com.br/revista/fevereiro144/cp14401.asp

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome