Home Editoria Justiça Para ex-presidente da CEMDP, mudança de regimento decreta “fim das atividades”

Para ex-presidente da CEMDP, mudança de regimento decreta “fim das atividades”

Para ex-presidente da CEMDP, mudança de regimento decreta “fim das atividades”
Foto: Reprodução

Jornal GGN – A Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP) passa a contar com um novo regimento interno, publicado nesta quinta-feira no Diário Oficial da União. Contudo, as mudanças propostas não foram bem recebidas.

Em entrevista, a procuradora regional da República e ex-presidente do colegiado, Eugênia Augusta Gonzaga, explica que as alterações representam “o fim das atividades da CEMDP” e não mais dão respostas sobre localização dos corpos às famílias.

O novo regimento também revogou resolução que obrigava a emissão dos atestados de óbito de mortos e desaparecidos políticos, além de retirar o reconhecimento da “causa mortis” do documento, uma determinação da Comissão Nacional da Verdade (CNV) para responsabilizar o Estado.

Eugênia foi substituída pelo atual presidente da Comissão, Marcos Vinicius Pereira de Carvalho, após decreto do presidente Jair Bolsonaro de agosto de 2019.

Criada durante o governo Fernando Henrique Cardoso, a Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos busca localizar corpos de mortos e desaparecidos políticos, principalmente do período da ditadura militar.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

GGN
Sair da versão mobile