Partidos de esquerda acionam Conselho de Ética contra Eduardo Bolsonaro

PSOL, PT, PCdoB e PSB também estudam apresentar notícia crime no STF por causa de defesa de um "novo AI-5"

Jornal GGN – O PT, PCdoB, PSB e PSOL entraram com uma representação contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados nesta quinta (31), após o filho do presidente declarar, em entrevista no YouTube, que se a “esquerda” radicalizar em manifestações contra Jair Bolsonaro, a resposta do governo deverá ser um “novo AI-5”.

Segundo informações do site UOL, os partidos de esquerda também estudam uma notícia-crime contra Eduardo no Supremo Tribunal Federal.

Na entrevista, Eduardo reclama que a oposição e a mídia culpam Bolsonaro por tudo e qualquer coisa que acontece no País, das queimadas na Amazônia ao vazamento de óleo em praias nordestinas.

“Vai chegar um momento em que a situação vai ser igual ao final dos anos 1960 no Brasil, quando sequestravam aeronaves, executavam e sequestravam grandes autoridades, cônsules, embaixadores, execução de policiais, militares”, disparou o deputado.

“Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta. E uma resposta pode ser via um novo AI-5, pode ser via uma legislação aprovada através de um plebiscito como ocorreu na Itália. Alguma resposta vai ter que ser dada”, acrescentou.

Na mesma entrevista, Eduardo também proferiu mais uma frase autoritária: “O que faz um país forte não é um Estado forte. São indivíduos fortes. A conjectura não tem que ser futura, ela tem que ser presente.”

Em nota, o presidente da Câmara Rodrigo Maia afirmou que as manifestações de Eduardo “são repugnantes, do ponto de vista democrático, e têm de ser repelidas como toda a indignação possível pelas instituições brasileiras. A apologia reiterada a instrumentos da ditadura é passível de punição pelas ferramentas que detêm as instituições democráticas brasileiras”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome