Patrão deve capacitar beneficiário do BIP em troca de menor imposto

Modelo em estudo pelo governo federal é contrapartida pela contratação de funcionário dentro do sistema da Carteira Verde e Amarela

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro cogita pedir às empresas que forneçam um curso para capacitação dos funcionários contratados que forem favorecidos pelo BIP (Bônus de Inclusão Produtiva), que substituiria o auxílio emergencial.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, a medida seria uma compensação pelo fato de a empresa incluir em seus quadros um profissional com encargos trabalhistas reduzidos, dentro do sistema da Carteira Verde e Amarela.

A proposta em análise pelo governo federal considera a liberação de três parcelas no valor de R$ 200, para atender trabalhadores informais não atendidos pelo programa Bolsa Família. Desta forma, o recebimento do auxílio seria associado ao fornecimento de um curso a quem for favorecido – em geral, trabalhadores com baixo nível de qualificação.

Um dos modelos que foram avaliados projetava parcerias com órgãos do sistema S, que forneceriam os treinamentos. Entretanto, a rede de atendimento deveria ser grande o suficiente para atender os cerca de 30 milhões de pessoas que podem ser favorecidas pelo BIP.

 

Leia Também
“Graças a Deus mudou o comando da Câmara”, disse Bolsonaro sobre impeachment
Reforma administrativa será enviada ao CCJ nesta terça-feira
Congresso discute 14 projetos que prorrogam auxílio emergencial
Ministério da Saúde já recebeu 45 pedidos para furar a fila da vacinação

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora