Paulo Guedes descarta renda básica aos brasileiros, comentário de Roberto Paulo/SP-2010

Para estimular a demanda externa precisaremos aumentar o salário mínimo, os gastos públicos, e um programa de financiamento habitacional que viabilize o aumento dos gastos das famílias

Agência Brasil

Por Roberto Paulo/SP-2010
comentário no post Paulo Guedes descarta renda básica aos brasileiros

Depois de controlar a pandemia, vamos precisar estimular a demanda interna, com aumento da oferta de crédito e principalmente com o aumento das rendas das famílias.

Vai ser difícil, além da dor da perda de entes queridos, este governo se fizer alguma coisa vai ser tudo errado.
No momento nos esforços precisam estar voltados para tentar controlar a pandemia.

Mas no atual ritmo, quando as vacinas e/ou medicamentos estiverem disponíveis, já teremos mais de 200 mortes, e milhões de pessoas que não poderão trabalhar em função dos danos da covid-19,

De qualquer maneiram a atual pandemia desmascarou os principais sofismas do mercado financeiro e do neoliberalismo econômico no Brasil. Que estado estava falido e impossibilitado de aumentar os gastos públicos, e que os juros da Selic não poderiam cair em função do patamar da dívida pública.

Nesta pandemia, tanto o governo aumentou os seus gastos, como os juros da Selic estão perto de zero, e negativo considerando a expectativa de inflação para os próximos 12 meses.

No mais, teremos que estimular a demanda interna depois de controlar a pandemia, e não reduzir o custo da folha de pagamento,
Além da forte concorrência da china, no mercado externo, muito provavelmente muitas economias irão reavaliar o abastecimento de muito produtos visando a segurança nacional, diante das fragilidades demonstradas na atual pandemia.

Para estimular a demanda externa precisaremos aumentar o salário mínimo, os gastos públicos, e um programa de financiamento habitacional que viabilize o aumento dos gastos das famílias;

Por exemplo oferecendo um plano de financiamento com a primeira prestação a ser paga a partir do vigésimo quinto mês, além de estimular a construção civil, aumentaria consideravelmente a capacidade de consumo dos novos moradores;

Certamente a manutenção dos juros da Selic no atual patamar, facilitaria e muito a elaboração de um plano habitacional.

Mas como já foi dito várias vezes, nada podemos esperar deste governo, senão o aprofundamento da depressão e do desemprego.

O Brasil precisa caminhar rapidamente para um salário mínimo de pelo menos R$ 3.000,00 por mês.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora