Paulo Guedes insiste em imposto sobre transações eletrônicas

Contudo, ministro da Economia diz que tema só será retomado após as eleições por temer que o assunto seja explorado politicamente

O ministro da Economia, Paulo Guedes. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O ministro da Economia, Paulo Guedes, revelou que pretende retomar a criação de um encargo sobre transações eletrônicas após a definição das eleições municipais, por temer que o tema seja explorado politicamente durante a disputa.

“Não estamos falando porque as eleições estão chegando. As pessoas têm preocupação de o tema ser explorado nas eleições, de falarem ah, o ministro Paulo Guedes quer um imposto sobre transações financeiras, quer a CPMF…”, disse Guedes, em evento promovido pelo Bradesco BBI. “Então, não vamos falar sobre isso. Após as eleições, falamos novamente”, complementou, segundo o jornal Correio Braziliense.

A intenção do ministro é taxar apenas quem usa os meios de transações digitais, que agora incluem o PIX (novo sistema instantâneo de pagamentos), com taxas variando entre 0,15% e 0,2%.

A criação de tal imposto, considerado uma reedição da CPMF, é um nó na reforma tributária que ainda não foi resolvido, embora Guedes tenha afirmado que o governo está mais perto de fechar um acordo em relação à reforma.

 

 

Leia Também
Os Objetivos do Milênio: o sistema financeiro internacional, por Luis Nassif
BB proíbe clientes de utilizar serviços das 13 mil lotéricas do país
Apagão no Amapá acende alerta em outras regiões

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora