Pela primeira vez em 60 anos, BID será presidido por norte-americano

Quebrando tradição, Maurício Claver-Carone venceu disputa neste sábado; candidato teve o apoio de países como Brasil, Japão e Canadá

Maurício Claver-Carone, novo presidente do BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento. Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) deu fim a uma tradição de 60 anos com a eleição do norte-americano Maurício Claver-Carone para a presidência da instituição, antes comandada apenas por representantes de países latino-americanos.

Segundo o jornal O Globo, o candidato de Donald Trump conseguiu o apoio de 66,8% do capital votante, como dos governos do Brasil, Paraguai, Colômbia, Uruguai, Equador, Canadá, Japão e Bolívia, entre outros.

Inclusive, o governo brasileiro foi um dos primeiros a aderir à candidatura de Claver-Carone, renunciando ao seu papel de liderança regional. E por conta de seu alinhamento com os Estados Unidos em termos de política externa, acredita-se que o governo Bolsonaro possa designar um vice-presidente do BID.

Já os governos da Argentina, Chile, Peru, Nicarágua e México decidiram abster-se em repúdio à eleição do norte-americano. Muitos governos europeus também optaram por não votar. Durante a campanha, Claver-Carone chegou a acusar o governo argentino de subversivo, ao tentar adiar a eleição do BID para depois da disputa presidencial norte-americana.

O BID é considerado estratégico para a América Latina, por ser um ponto de criação das regras para investimentos estrangeiros no continente. Diante da eleição de um norte-americano, o governo dos Estados Unidos poderia tornar as regras mais favoráveis aos seus investimentos, em detrimento ao capital chinês.

 

 

Leia Também
NYT: A outra maneira que Covid matará, a fome
Governo Bolsonaro corta 58% da verba para brigadistas florestais em 1 ano
Como os militares pavimentaram o caminho do retorno ao poder, por Wilson Luiz Müller
Bolsonaro deve recorrer no STF para não prestar depoimento presencial

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora