Pelé pede protestos “só depois da Copa”

Do UOL
 
 
Do UOL, em São Paulo 31/01/201414h46
 
Pelé afirmou nesta sexta-feira, 31, que ficou preocupado com os protestos que ocorreram durante a Copa das Confederações e sugeriu que os manifestantes deixem para ir às ruas somente depois da Copa do Mundo. As declarações foram dadas à ESPN Brasil em Nova York. 
 
“Espero que a gente tenha essa consciência: deixar passar a Copa do Mundo. Aí vamos reivindicar o que os políticos estão roubando ou desviando. Isso é outra coisa. O futebol só traz divisas e só traz benefício para o Brasil”, afirmou Pelé. 
 
“Acho que o futebol não tem nada a ver com a corrupção dos políticos. O futebol sempre enalteceu o Brasil. Os jogadores sempre trouxeram promoção muito grande para o Brasil”, continuou o tricampeão mundial, que acredita que o futebol deve ser poupado pelos protestos.

 
“Se vamos fazer manifesto, vamos atacar os políticos. Vamos deixar passar essas festas e vamos exigir. Futebol não tem nada com isso”, disse Pelé ao canal de televisão. Ele sustentou sua afirmação dizendo que o país deve aproveitar a chance de receber o dinheiro de turistas durante o Mundial. 
 
“O futebol sempre promoveu o Brasil. Agora temos três eventos: a Copa das Confederações, a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O país pode encher de turista e receber todo o benefício desse turista. E o próprio brasileiro fica estragando uma festa dessas… Quando falei isso ano passado, muita gente não entendeu.”
 
Com relação à Copa das Confederações, Pelé disse que ficou preocupado com o prosseguimento do torneio. “Me preocupou um pouco todos aqueles movimentos, aqueles manifestos”, declarou. “Isso me preocupou muito. A sorte é que Deus é brasileiro, e o Brasil foi campeão. Aí sossegou um pouco.”
 
Protestos contra a Copa do Mundo foram registrados em 14 cidades do Brasil no último sábado, 25. Em São Paulo, um jovem foi baleado por policiais militares e está internado. Mais de 130 pessoas foram detidas. Curitiba e Natal também prenderam manifestantes acusados de vandalismo. 
 
Novos protestos já estão sendo marcados pela internet. Em São Paulo, a próxima manifestação está marcada para 22 de fevereiro, com concentração na Praça da República, região central.

32 comentários

  1. Até hoje eu não consegui

    Até hoje eu não consegui entender a riva que as pessoas tem do Pelé. Ah! ele cometeou erro! Dizem assim os juízes. A opinião dele é compartilhada por muitos, inclusive por mim. Ele não está querendo que se deixe de protestar ele está querendo que deixem de protestar contra o futebol. É a opinião dele, descorde ou não. Mas tá ruim pra todo mundo respeitar o contraditório.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  2. A Folha e o UOL estão

    A Folha e o UOL estão turbinando os protestos. A quantidade de besteiras ditas pelo anônimo bb que supostamente foi entrevistado é alarmante.

    Para piorar o UOL capricha no texto….

    Manchete de agora do UOL. Termina com uma interrrogação.

    Por favor reparem como aquele senhor e sua esposa mais a filha de 4 anos que quase foram assassinadas dentro de um velho fusca desapareceu da reportagem. Por incrível que pareca o FUSCA ganhou vida e foi ele que provocou o incidente.

    Quem são e o que querem os líderes das novas manifestações contra a Copa?

     

    Tiago Dantas
    Do UOL, em São Paulo

    Após os protestos de junho de 2013, o povo voltou às ruas de 14 cidades do País no último sábado, 25, para fazer passeatas contra a Copa do Mundo. A segunda leva de manifestações não atraiu tantas pessoas quanto as marchas do ano passado, mas tem um foco bem específico, promete ter fôlego até julho e mostra uma participação mais efetiva dos Black Blocs.

    O lema escolhido pelo movimento, “Não vai ter Copa”, pode soar como uma demanda irreal. Quem participa dos protestos, porém, acredita que pode ao menos tentar atingir o objetivo. Se não for possível impedir a realização de um jogo, é provável que se crie tumulto suficiente para preocupar as autoridades e chamar a atenção da imprensa internacional.

    Os Black Blocs assumiram, na manifestação de sábado, em São Paulo, parte do espaço que era ocupado pelo MPL (Movimento Passe Livre), principal motor das manifestações de junho. Pessoas que se identificam como sendo parte do grupo revelaram ao UOL Esporte que atuaram na divulgação do evento por meio do Facebook desde o fim de dezembro e ajudaram a colar cartazes e fazer pichações pela cidade com o objetivo de chamar as pessoas.

    Já na passeata, jovens que cobriam o rosto com máscaras ou camisetas pretas formavam a linha de frente do protesto, indicando o roteiro que deveria ser seguido. Os Black Blocs costumam ficar à frente das manifestações e afirmam que só atacam se forem agredidos pelos policiais. No meio do caminho, lixeiras foram quebradas e vidros de agências bancárias, apedrejados. Um Fusca que tentou passar por um colchão pegando fogo no meio da rua foi incendiado.

    “A gente não ataca a pessoa, o trabalhador, o manifestante. Se é para quebrar alguma coisa, é a propriedade do Estado que não nos representa, ou só representa uma parcela pequena da população e oprime a maior parte. A gente quebra um banco, que não nos representa também”, disse um ativista do grupo, de 20 anos, que pediu para não ser identificado. 

    “Mas o BB [abreviação de Black Bloc] não é uma organização. É um movimento aberto. Tem gente que acredita em todo tipo de coisa”, concluiu. Ao ser questionado sobre como definia sua atuação, outro jovem citou o lema do seu grupo, a Facção Central: “Não aceno bandeira, não colo adesivo, não tenho partido, odeio político. A única campanha que eu faço é pelo ensino e pro meu povo se manter vivo.”

    Em geral, os manifestantes evitam dar entrevistas, pois não acreditam nos grupos que controlam a “grande mídia” e temem que suas declarações sejam distorcidas. Quando falam, mantém o anonimato e evitam dar declarações pessoais, que possam ajudar a identificá-los. Até seus perfis nas redes sociais são anônimos, mostrando fotos de mascarados, como a imagem de Guy Fawkes, utilizada pelo personagem de “V, de Vingança”, e nomes que fazem alusão a revolucionários ou a seus apelidos.

    “Defino o Black Bloc como uma forma de protesto”, afirma a pesquisadora Esther Solano, professora de relações internacionais da Unifesp (Universidade Federal do Estado de São Paulo), que tem se dedicado a estudar o assunto. “O denominador comum é o uso da violência como forma de expressão. Eles notaram que o governo não os escuta. E que a única forma de se fazer ouvir é partindo para uma ação mais dura.”

    Ampliar

    Protestos contra a realização da Copa do Mundo no Brasil47 fotos

    47 / 47Fabrício Proteus Nunes Fonseca Mendonça Chaves no momento em que tenta fugir da polícia. Jovem foi perseguido e baleado por três policiais militares Reprodução

    O que os Black Blocs defendem? 

    O grupo é formado, em sua maioria, por estudantes do Ensino Médio ou de faculdades públicas. Integrantes dos Black Blocs ouvidos pela reportagem se definem como anarquistas e se dizem contra qualquer tipo de controle do Estado.

    Embora defendam a violência para chamar a atenção do poder público e aprovem a depredação de agências bancárias e outros prédios privados, os Black Blocs não admitem violência contra pessoas. Por isso, segundo o grupo, só atacam se forem agredidos antes. 

    Em alguns fóruns frequentados por Black Blocs são discutidas táticas para atrapalhar a realização da Copa do Mundo. A ideia do grupo é continuar convocando atos como o de sábado, mas diminuir o intervalo entre um protesto e outro conforme a Copa se aproxima.

    Uma enquete, por exemplo, questiona se devem ser realizadas ocupações nos principais aeroportos do País para dificultar o embarque e desembarque de turistas e delegações. Há sugestões para bloquear as vias que dão acesso aos estádios e até ataques a ônibus de times que estiverem na cidade.

    “Vai ter atentado a delegações, ônibus incendiados, ocupações”, disse um jovem de 18 anos, que não quis se identificar, ao UOL Esporte. Ao ser questionado sobre quais suas principais reivindicações, o manifestante foi econômico: “Não vai ter Copa!” 

    Classe média é mais presente

    Isso não significa, entretanto, que todas as pessoas que foram para as ruas são Black Blocs ou defendem abordagens violentas. Um grupo que se intitula Unidade Negra, por exemplo, montou uma página no Facebook na qual oferece apoio ao próximo protesto, marcado para 22 de fevereiro, em São Paulo, mas recomendou aos Black Blocs que evitem começar confrontos.

    Movimentos sociais também apoiam o protesto. “Vi muitas caras novas nesse protesto, pessoas que não estavam na rua em junho do ano passado. Mas os grupos sociais e políticos mais estruturados e tradicionais ainda estão longe do movimento”, diz Esther. “Em geral, não são pessoas das periferias mais distantes, mas são uma classe média que tem contato com os problemas do Brasil: as escolas públicas, filas em hospitais.”

    A cobrança por educação e saúde “padrão Fifa” já haviam surgido em meio às manifestações de junho, em meio a pedidos para reduzir tarifas de transporte. Agora, ao menos por enquanto, o foco é o investimento público na organização da Copa.

    “As pessoas querem serviços públicos de qualidade, e nisso vejo muitas semelhanças com os protestos de junho de 2013. São pessoas reivindicando gastos públicos mais responsáveis”, afirma o pesquisador Wagner Iglecias, doutor em Sociologia e professor do Curso de Graduação em Gestão de Políticas Públicas e do Programa de Pós-Graduação em Integração da América Latina da USP.

    Segundo Iglecias é natural que as reivindicações tenham voltado às vésperas do Mundial. “As pessoas se sentem enganadas com a promessa do legado. Tirando algumas coisas em aeroportos, quase nada ficou pronto. Enquanto as cidades estão entrando em colapso, o governo investe alto em estádios”, opina Iglecias.

    MANIFESTANTES FORAM ÁS RUAS EM 14 CIDADES

    Os protestos contra a Copa do de 25 de janeiro contra a Copa do Mundo levaram manifestantes para as ruas em 14 cidades. São Paulo teve a passeata mais movimentada. Um manifestante foi baleado pela PM e está internado em estado grave. Outras 135 pessoas foram detidas. Em Natal, 17 manifestantes foram detidos. Os jovens jogaram grades de ferro no alambrado da Arena das Dunas (foto), estádio recém-inaugurado.

    Inércia do governo e repressão policial aumentam apoio

    A falta de resposta do poder público às demandas populares e a repressão da Polícia Militar a manifestantes devem servir como combustível para os próximos protestos, na opinião do pesquisador Rafael Alcadipani, PHD em Ciência da Administração e professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV.

    “O governo não está encontrando uma saída política para esse problema, apenas uma saída policial, que se mostrou ineficiente. E essa inércia só aumenta a quentura”, diz Alcadipani. “Todos estavam esperando os protestos de sábado, pois sabemos que seria um termômetro de como será o ano. E, pelo jeito, será muito quente.”

    Iglecias acredita que a forma como os candidatos vão se posicionar com relação aos protestos também é um ponto importante.  “Em um ano eleitoral, é impossível que os atores do jogo político não se posicionem em relação ao que está acontecendo nas ruas. Por mais que alguns grupos rejeitem partidos políticos, algumas pessoas podem se beneficiar.”
     

     

  3. coxinha consciente

    Pelé:

    “Aí vamos reivindicar o que os políticos estão roubando ou desviando”.

    Pelé mostra outra habilidade:

    ele é um coxinha consciente!

    muito melhor do que os coxinhas inconsequentes.

    viva Pelé!

  4. Um elemento que não cuida…

    …nem das próprias criancinhas é um safado.

    Cala a boca Pelé!

    Lembram da última vez que o sujeito falou para não ter protesto… centenas de milhares nas ruas no dia seguinte.

    O protesto vazio e violento só tem a repercussão atual devido a leniência da imprensa e dos governantes. A tendência é piorar, tudo é feito para incentivar, temos o exemplo do maníaco do estilete tratado como vítima… e não como o delinquente que é. Protesto é uma coisa, o que vemos na ruas do Brasil é outra totalmente diferente. Para baderna e depredação os remédios são: cassetete, bala de borracha, gás lacrimogênio e spray de pimenta…

  5. Pele esta errado.  Tem que

    Pele esta errado.  Tem que protestar eh agora mesmo, e nem eh por causa de qualquer coisa que esteja acontecendo no Brasil.

    Eh pra derrubar a Copa a nivel mundial mesmo.

    Eles TEM que tirar o cavalinho da chuva, viu?  Por bem ou por mal.

  6. MPL, movimento anarquico do

    MPL, movimento anarquico do nada colocou dois milhoes de pessoas nas ruas, conseguiu o que queria e ainda mais, pois tirou corruptos de sua zona de conforto, varios movimentos isolados continuam acontecendo, agora o rolezinho, jovens da periferia  que estao conseguindo fechar templos de consumo, agora vira ….., eles tem razao de estar preocupados, a proposito NAO VAI TER COPA !!!!

  7. O Brasil é um dos poucos

    O Brasil é um dos poucos países do mundo que ridicularizam os seus ídolos.

    Se várias falas do Pelé, fossem ditas por qualquer ídolo branco, não teriam tantas repercussões negativas.

    Na verdade,  a elite branca nunca engoliu o ídolo mundial Pelé, e sempre procuram ridiculariza-lo.

    Alguém já viu o rei Roberto Carlos emitir alguma opinião pública ?

    Claro que não.Sabem por que ?

    Porque o rei é vazio, sem conteudo, e com dificuldade de articulação.

    Quem diz isso são pessoas que tiveram contatato com o rei, sem idolatria, e se decepcionaram.

    Mas se o rei emitir qualquer opinião todos acharam o máximo.

    O Brasil nunca engoliu o Pelé.

    •     Eleição para prefeito de

          Eleição para prefeito de Santos, em 1992. Numa época em que não havia reeleição,a Prefeita Telma de Souza (PT) tem cerca de 90% de popularidade e aos poucos transfere votos para o candidato do PT, David Capistrano, que vira nas pesquisas e é favorito pra ganhar no 1o turno. Eis que 15 dias antes do 1o turno, aparece Pelé na televisão como cabo eleitorial do candidato Vicente Cascione (PDS – Maluf), que até então tinha apenas 5%. Com a força dada por Pelé, Cascione vai para o 2o turno com seu discurso néo-fascista (uma das principais propostas era banir imigrantes da cidade). Felizmente, ele perdeu, mas 4 anos depois, o malufista Beto Mansur (PP) se elegeu com o apoio de Pelé e pode cumprir dois mandatos como um dos prefeitos mais corruptos da história da cidade.

          Roberto Carlos já se manifestou politicamente; em 1986 apoiou Antônio Ermírio para Governador de SP. Não acho grandes coisas, mas melhor que apoiar candidatos malufistas.

          Pelé sem dúvida é muito inteligente e sempre soube o que queria. Quando durante a Ditadura (Governo Figueiredo) disse que o brasileiro não sabia votar, tinha plena do consciência de quem estava agradando com sua fala. A única coisa que o incomodou na Ditarduara, foi que quiseram pressioná-lo a jogar a Copa de 74, coisa que não aceitou!  

    • Para quem viajou p/ o

      Para quem viajou p/ o exterior há uns 20 anos atrás, teve a oportunidade de ver que do Brasil só conheciam o Pelé, além é claro, carnaval.

      Cada um pode dizer o que quiser, ter a sua opinião, mas não consigo aceitar o modo como certas pessoas se dirigem ao Pelé. Em minha opinião, ele merece todo o nosso respeito pois além de ajudar e muito a conquista da 1a. Copa com 17 anos,  se esquecem que jamais deixou o Brasil, a não ser no final de carreira. A meu ver, não passam de invejosos aqueles que o chamam de ganancioso.  Ele viveu exclusivamente para jogar futebol e tornou-se um pouco alienado dos meandros da política, dentre outras coisas.. Conheço muita gente assim, que só sabe falar do trabalho,  se médicos so sentem bem com um colega e não há outro papo. Apesar da fama que tem mundo afora, sinto nele ainda uma certa humildade. O Tom Jobim é que tinha razão ao dizer que nós detestamos aqueles que conseguem sucesso no exterior.

      Pelé, sempre, Pelé.  Tão diferente  de  outro seu conterrâneo e negro como ele.

    • Não seja preconceituos

      Não seja preconceituos Gilson, ídolo do porte dele que fale as besteiras dele, têm que ser criticados sim, e isto nada tem a ver com a concentração congênita de melanina do sujeito.

      Saudações libertárias e patrióticas

  8. Cala a boca Pelé!

    O Pelé tem interesse no bolso dele, pois ele lucra com o futebol

    O Pelé não está nem aí pra corrupção deste país

    Por isso temos que mandar o Pelé para a puta que pariu!

     

    F0DA-SE A COPA

  9. Sim, mas por outros motivos

    Acho que o futebol não tem nada a ver com a corrupção dos políticos. O futebol sempre enalteceu o Brasil. Os jogadores sempre trouxeram promoção muito grande para o Brasil”, Cara pálida!

    O futebol é a maior corrupção imaginável e que enganha torcedores, clubes a ao país inteiro, sonegando impostos, levando capitais para fora do país, fabricando resultados, etc. Vou torcer na copa pelo Brasil e pelo nosso sucesso como país anfitrião e, quando a copa termine farei totalmente o contrário que Pelé diz: pediremos ajuda ao Governo (ministério dos Desportes) e aos políticos em geral, para acabar de uma vez com este circo de sem vergonhas que chamam o futebol de esporte.

    • O comentario eh tao ignorante

      O comentario eh tao ignorante da realidade que ate tenho que assinar.  Eh verdade sim, Alexis.  Praticamente TODOS os clubes do mundo “vao empurrando” com corrupcao de prefeituras, e praticamente TODOS eles devem impostos e sempre mostram “prejuizo”.

      Futebol eh uma corrupcao so!  QUE A COPA DESAPARECA DE UMA VEZ.

      De novo:  nada a ver com o qualquer imaginaria corrupcao que estivesse acontecendo no Brasil, a coisa eh de nivel mundial, e o lugar ideal pra eles cairem do cavalinho na chuva eh no Brasil.

  10. Aproveito para divulgar
    Aproveito para divulgar excelente forma de argumentar a favor da Copa. Ex.: Quem é contra equivale a uma família que ganha 2.300,00, paga 500,00 de plano de saúde e reclama gastar 7,00 na Copa.    

     

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=252285794932709&set=pb.223843157776973.-2207520000.1391208385.&type=3&src=https%3A%2F%2Ffbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net%2Fhphotos-ak-prn1%2Ft1%2F1623440_252285794932709_1068231538_n.jpg&size=600%2C800

    • Se esses são todos os

      Se esses são todos os argmentos a favor da Copa, tá fraco.

      Cidades remodeladas ao interesse do Capital e nao das pessoas.

      Remoções forçadas com requintes de crueldades…

      Leis de exceção

      Aparato repressivo que será o seu grande legado.

      E engraçado que tudo isso defendido por aqueles que falavam que o FHC vendia o Brasil. Lula e Dilma se ajoelharam diante da FIFA, mas aí tudo bem?

      8 – E a lista de violações é bastante longa. Os questionamentos à Copa não estão restritos ao uso de verbas públicas. São muitos abusos concretos, situações reais, que afetaram e vêm afetando diretamente a vida de centenas de milhares – para não dizer milhões – de pessoas em todo o Brasil:

      * Os cálculos mais conservadores citam a cifra de quase 200 mil pessoas removidas de suas casas como decorrência da realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas. São remoções a toque de caixa, feitas, como é de praxe, com violência, cooptação de lideranças, falta de informação aos atingidos, ausência de compensações adequadas. Sem falar nas consequências indiretas que vieram a reboque, a se destacar os grandes empreendimentos imobiliários travestidos de projetos urbanísticos, operações urbanas – bancados por governos em todo o país – que vêm expulsando os mais pobres das áreas valorizadas.

      * Desde que o Brasil e o Rio de Janeiro foram escolhidos como sede, respectivamente, da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, uma série de leis e portarias foram e vêm sendo aprovadas e editadas (ou preparadas para tal) como forma de “adequar” a institucionalidade brasileira a esses eventos. São leis que permitem concessões de terras e bens públicos para a realização dos eventos, que proíbem manifestações, que autorizam o uso da Força Nacional contra manifestações civis (!), que cassam o direito de greve (!!) durante o período dos jogos, que não permitem o trabalho de comerciantes e ambulantes ao redor dos estádios etc. No geral, todas essas leis e portarias são feitas na medida para atender aos interesses da Fifa e/ou de grandes empresas. A Lei de Geral da Copa é a principal delas, mas não a única.

      * As obras de infraestrutura e dos estádios vêm sendo acompanhadas por inúmeros casos de exploração dos trabalhadores. Já ocorreram duas dezenas de greves de operários, além de mortes causadas em boa parte por conta da aceleração requerida para o término das obras. Para piorar, prepara-se a aprovação de uma Medida Provisória que permitiria a contratação de trabalhadores por curta duração sem vínculo empregatício durante a Copa e as Olimpíadas.

      * Sob o pretexto e/ou como consequência dos megaeventos, estádios e aeroportos foram concedidos à iniciativa privada.

      * Todas as decisões relacionadas aos megaeventos estão sendo tomadas sem a mínima participação popular, passando por cima de instâncias como o Conselho das Cidades.

      * As obras de infraestrutura bancadas com dinheiro público vêm sendo amplamente questionadas por beneficiarem principalmente o capital imobiliário e o transporte individual, por serem um dos agentes dos processos de higienização das cidades e por serem também causadoras de remoções feitas a toque de caixa. Denuncia-se também que verbas públicas vêm sendo destinadas a estádios públicos que posteriormente serão concedidos à iniciativa privada, num processo de elitização que afastará (ou já vem afastando) cada vez mais os pobres da possibilidade de assistirem aos jogos.”

      http://www.viomundo.com.br/denuncias/igor-ojeda-e-a-copa-protestar-contra-violacoes-e-ser-de-esquerda.html

       

  11. Este senhor tem uma

    Este senhor tem uma mentalidade, digamos, sui generis.

    Ou não tem noção mesmo de cidadania e da oportunidade de um evento.

    Que tal comemorar seu aniversário de 100 anos uns, digamos, 50 anos depois.

    Sr. Pelé seu negócio é/foi bola e blábláblá sobre coisas supérfluas, de humanidades nem para aceitar uma filha (conforme constou do noticiário).

    As manifestações, pacíficas, são para mostrar ao mundo o descontentamento com a corrupção envolvida, seja ética, seja econômica.

    Saudações de um homem comum e libertário.

    • Pergunta boba…

      Humberto, você pode nos mobilizar…, por favor, nos relate o que você está fazendo, ou como está participando para  combater a corrupção em seu bairro/cidade, pois isto pode nos inspirar e então poderemos expandir suas/nossas reivindicações para os estados e depois para o governo federal. Gostaria muito de participar desse movimento anti-corrupção. Ajude-me, me ilumine!

  12. Imaginem!
    Se protestarem

    Imaginem!

    Se protestarem depois da copa, vão estragar as previsões dos “analistas” da mídia que preveram o fracasso do evento.

    Se protestarem depois da copa, vão estragar os planos da oposição do “quanto pior melhor”.

    Nem pensar!

    • Tem tucno e diretor da Abril

      Tem tucno e diretor da Abril fazendo de tudo para um grande fracasso na organização da Copa

      A Dilma só não se reeleje se ocorrer uma catastrofe, tái a catastrofe

  13. Como educados anfitriões

    Vamos vestir a camisa amarela e torcer pelo Brasil, pois o povo e o Governo não têm culpa da corrupção da FIFA. São notórios os numerosos episódios de corrupção, malas brancas e malas pretas, entrega da copa da França aos franceses, entrega da copa da Argentina aos argentinos, etc. Os dirigentes da CBF fugindo para paraísos fiscais. Árbitros corruptos. Recentemente, temos o caso do Neymar, caracterizando uma sonegação de tal tamanho que faz o Brasil inteiro sentir-se enganado. Mas, acabando o torneio, devemos fazer uma grande lavagem de roupa suja em casa, tirando a camisa do time de cada um e lutando juntos pela volta do futebol como um esporte de verdade, embora profissional, mas fiscalizado de perto pelo ministério dos esportes.

  14. Filhotes de Neolibeirais indignados com o Deus Mercado

    Todos os países do mundo que sediaram a Copa souberam tirar proveito do evento e não se preocuparam em ser Palmatòria do Mundo…

    Por aqui temos que ser originais…

    Vamos receber mal os visitantes, vamos emporcalhar um evento que se realiza há anos (inclusive já se realizou aqui), no intuito de corrigir os defeitos do mundo.

    Sei! Logo quem! Os filhotes de Neoliberais que acreditam no Mercado como solução de todos os problemas…

  15. Tenho percebido que boa parte

    Tenho percebido que boa parte dos “indignados” com a realização da copa do mundo no Brasil, é composta por pessoas pouco chegas a leitura, incapazes de ouvir e interpretar as informações prós e contra, são assíduas leitoras das manchetes mirabolantes da revista veja, folha, estadão e afins, tem como referência o jornal nacinal da rede globo, odeiam o PT, odeiam o Lula e a Dilma, não são norteados por alguma ideologia, gostam da ana maria braga, acham o jô soares um gênio, enfim, que turminha desocupada e sem rumo. Bando de massa de manobra.  

    • Concordo em partes,

      Concordo em partes,  brasileiros  regressos que foram expulsos da 

      europa em crise normalmente são os mais indgnados com a copa no

      Brasil, maioria se sente detentor de uma racionalidade adiquirida  no

      velho e decadente continente, julgam ter a receita para o males  da

      terra, com a vantagem de poder se mandarem  caso nada de certo.

       

      Obs. 99%  tem perfil de esquerda mas  são liberais nas atitudes.

  16. ‘Calado é um poeta’

    No entanto, algum respeito, conquistado no passado, por brasileiros que vivenciavam uma admiração desinteressada, nas suas viagens ao exterior, devem-se, exclusivamente, ao Rei do Futebol.

    Nos confins da Terra, muitas portas eram abertas, a patrícios monoglotas ou não, quando os interlocutores estrangeiros ouviam as palavras mágicas:

    – Pelé!

    – Brasil!

    – Futebol!

    ***

    “Darci Ribeiro foi premonitório ao diser algo assim: por volta do ano 5000 (d.c.), escavações arqueológicas levarão cientistas a redescobrir Brasília, reforçando o gênio de Oscar Niemeyer qu,e ao lado de Pelé, eram os brasileiros mais conhecidos da história da nova civilização dos trópicos: Rei Pelé merece essa afirmação.

    O personagem que encarna o gênio da raça, algo que não se explica racionalmente, e extrapola o papel do cidadão Edson Arantes do Nascimento.” – Walter Sorrentino

    ***

    Ato de Cidadania Honorária, introduzido, a partir de 16 de outubro de 2013

    Lei para proclamar Edison Arantes do Nascimento cidadão honorário do Canadá

    Este projeto de lei foi previamente introduzido no Parlamento 41, 1 ª Sessão.

    Esta emenda proclama Edison Arantes do Nascimento cidadão honorário do Canadá.

    Peter Stoffer Sackville-Eastern Shore, NS

    ‘Sr. Presidente, tomo a palavra para dizer a todos na Câmara e os canadenses assistindo em todo o país que esta fantástica peça de legislação faria Edison Arantes do Nascimento, ou Pelé, cidadão honorário do Canadá.

    Quem é ele?, os membros podem querer.

    Pelé é o maior jogador de futebol do mundo de todos os tempos. 

    Mais importante ainda, o seu trabalho para os pobres e empobrecidos, através da UNESCO e das Nações Unidas tem sido reconhecido.

    Foi nomeado Cavaleiro Comandante da Ordem do Império Britânico por sua Majestade a Rainha em 1997. 

    Pelé é, em geral, um dos melhores cidadãos do mundo que já enfeitaram este planeta, como Gandhi, Mandela, Martin Luther King e muitos outros. 

    Em 2014, a Copa do Mundo será no Brasil.

    Quero agradecer a minha querida, colega para Chambly-Borduas para destacaro este projeto de lei para ter Pelé como um cidadão canadense honorário. 

    Eu acho que isso seria uma homenagem maravilhosa para o homem, para o Brasil, bem como para as relações e contatos culturais que o Brasil tem com o Canadá.

    Fizemos cidadãos honorários  outros maravilhosos dos cidadãos mundo. 

    Acredito que Pelé merece esse título também. 

    Fazendo Pelé, maior jogador de futebol do mundo de todos os tempos, um cidadão honorário seria fantástico, não só para o esporte do futebol, que, por sinal, é o meu desporto favorito, mas porque ele é um ser humano absolutamente espectacular.’

    https://openparliament.ca/bills/41-2/C-416/

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome