PGR abre investigação preliminar sobre fala de Eduardo Bolsonaro sobre ruptura democrática

O relator no STF é o ministro Celso de Mello, que enviara o caso para parecer da PGR

Do Conjur

O procurador-geral da República Augusto Aras enviou ofício ao Supremo Tribunal Federal em que comunica ter instaurado procedimento para averiguação preliminar dos fatos relatados em uma notícia-crime contra o deputado Eduardo Bolsonaro. O relator no STF é o ministro Celso de Mello, que enviara o caso para parecer da PGR.

Formulada pelo advogado Antonio Carlos Fernandes, a notícia-crime cita trecho de declarações de Eduardo Bolsonaro em uma live no Facebook. “Até entendo quem tem uma postura moderada para não chegar num momento de ruptura, de cisão ainda maior, de conflito ainda maior. Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas, falando abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas de quando isso vai ocorrer”, disse.

Para o advogado, Eduardo Bolsonaro teria praticado delito contra a Segurança Nacional (Lei 7.170/83). O deputado teria incorrido no artigo 23, inciso I, do diploma: “incitar a subversão da ordem política ou social”, cuja pena é a reclusão de um a quatro anos.

No ofício ao Supremo, Aras afirma que, “caso surjam indícios mais robustos de possível prática de ilícitos pelo representado, será requerida a instauração de inquérito criminal no STF, para adoção das medidas cabíveis”.

Leia mais:

Ruptura democrática não é questão de se, mas quando vai acontecer, diz Eduardo Bolsonaro

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Direto de Beirute, jornalista Ali Farhat fala ao GGN sobre a megaexplosão e a tirania dos EUA

1 comentário

  1. Impressiona como em se tratando da famiglia todo inquérito é “preliminar. Nada é final em se tratando do pgrxbozo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome