PIB de 2020 é revisado de 0,02% para -4,7%

Revisão do governo vai de encontro com reduções anunciadas pelo Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional; IPCA cai para 1,77%

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O governo brasileiro revisou a projeção oficial para o PIB (Produto Interno Bruto) de 2020 para uma queda de 4,7%, segundo dados divulgados no relatório de receitas e despesas do governo, publicado pelo Ministério da Economia. Os dados projetados em março apontavam crescimento de 0,02%.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, esta pode ser a maior recessão do País nos últimos 120 anos – estatísticas do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) não registram uma queda tão grande desde o início da série histórica, em 1901.

Para chegar ao número de -4,7% em 2020, o governo afirmou ter considerado diversos dados que indiquem o nível de atividade em abril, além da hipótese de que a quarentena “ocorrerá no mês de maio”.

De acordo com prognósticos da Secretaria de Política Econômica, a projeção para a inflação oficial mensurada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ao final deste ano caiu de 3,12% para 1,77% – próxima aos dados do mercado financeiro, que estima um IPCA de 1,76%. No ano passado, o IPCA fechou em 4,31%.

 

Leia Também
Coronavírus: OCDE aponta colapso econômico em abril
Raio X dos dados do comércio e de serviços no início da pandemia
FT sugere que ajuda pública receba ações de empresas como contrapartida
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro. Saiba mais aqui

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

- 2020-05-13 17:41:49

Cenários lisérgicos É o terceiro cenário de PIB NEGATIVO que pinta aqui no GGN em uma semana, todos com 3 opções no menu, Pessimista, Otimista e Referência. Começou com uma equipe de 11 economistas da UFRJ, em 06.05, que estimaram em 11%(P), 3,1%(O), e 6,4%(R). Depois, em 11.05, veio a CNI, com 7,3%(P), 0,9%(O)EITA!!!!!!, e 3,9%(R). Agora, surge o governo brasileiro com um cenário único de queda de 4,7%. A Mônica de Bolle dedicou um vídeo de 1 hora quando saiu a queda do PIB norte-americano, de 4,8% NEGATIVO no primeiro trimestre. Esclareceu e enfatizou o tamanho da queda da seguinte forma: em janeiro e fevereiro a economia americana rodou normal, ou seja, com crescimento positivo, sem nenhuma influência da crise, e o mês de março sozinho, quando a crise sanitária chega com tudo, foi tão impactante que anulou os dois primeiros meses do ano. Imagine-se o tamanho da queda no segundo trimestre. Mais, por lá, na maior economia do planeta, não se tem dúvidas de um PIB negativo de 2 dígitos, por enquanto estimados em 12%, e um desemprego de 24/25%. Lá, na maior economia do planeta. O único cenário que dá para levar a sério é o da UFRJ, com modestos 11% de queda do PIB, o da CNI de queda de 0,9% não é otimista, é lisérgico. O do governo brasileiro "não vai de encontro com as reduções anunciadas pelo Banco Mundial", é simplesmente mentiroso como mentiroso é o governo. A Economia brasileira está devastada. Todos os cenários otimistas - UFRJ, CNI e governo - parecem levar em conta o seguinte: 1) este governo cai até domingo 17/05; 2) todos os ministros são demitidos; 3) na segunda-feira 18 toma posse um presidente virtuoso que nomeia ministros igualmente virtuosos; 4) o Brasil amanhece segunda-feira irmanado num só propósito de salvação nacional, todas as divergências são deixadas de lado, ninguém mais briga com ninguém, presidente, ministros, governadores, prefeitos, oposição, tudo aquilo que se convencionou chamar de sociedade civil num só propósito. LSD na veia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador