GGN

Professores de direita formam associação nacional “Docentes Pela Liberdade”

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Professores de ensino básico e universitário que formam um “bloco mais ou menos coeso (antipetista, liberal na economia)” decidiram se reunir em torno de uma associação nacional batizada de “Docentes pela Liberdade”.

A ideia é “elaborar planos para aumentar sua influência sobre a universidade e, por que não, também sobre o governo”, narrou a Folha de S. Paulo desta quarta (3).

O grupo já tem 270 cadastrados em 23 estados e no Distrito Federal. A maioria é de humanas, mas 42% se dividem entre as áreas de exatas e biológicas. Cerca de 85% são professores do ensino básico ou superior.

Idealizador do grupo, o biólogo Marcelo Hermes-Lima, professor da UnB, afirmou ao jornal que o grupo procura pessoas de centro que se comprometam com a “liberdade”. O diário entrevistou inúmeros docentes que integram a organização, e a maioria reclamou da hegemonia da esquerda nos espaços acadêmicos e da má aplicação dos recursos públicos em projetos científicos ligados à agendas identitárias.

A doutora em educação pela USP e coordenadora da ONG Ação Educativa, Denise Carreira, avaliou que o grupo tem o direito de se reconhecer e organizar, mas questiona as “pautas defendidas individualmente por alguns participantes do grupo”, como o Escola Sem Partido.

“A gente pode ler essa situação como um grupo que retoma agendas tradicionais, elitistas, ligadas à meritocracia e em reação às conquistas de democratização das universidades. Será que essa associação vai defender as instituições de ensino? Será que vão lutar por mais dinheiro para a educação e para a ciência e tecnologia?”, comentou.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Sair da versão mobile