Professores de São Paulo entram em greve contra volta às aulas presenciais

Paralisação tem início na próxima segunda-feira; categoria também decidiu pela manutenção do trabalho remoto, segundo APEOESP

Jornal GGN – A APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) aprovou a realização de greve dos professores contra a volta das aulas presenciais a partir de segunda-feira, 08 de fevereiro.

A decisão foi tomada em assembleia regionalizada virtual, onde 91,7% da categoria foi favorável à greve “em defesa da vida contra a volta às aulas presenciais”, segundo a presidenta da APEOESP, a deputada estadual Professora Bebel.

Ela afirma que, diferentemente de outras paralisações, desta vez o foco é a saúde, preservar vidas, tanto de professores quanto de estudantes, funcionários e familiares. A categoria também decidiu pela manutenção do trabalho remoto, no que contou com o apoio de 81,8% da categoria.

“Não há condições para um retorno seguro. As escolas não apresentam a mínima infraestrutura. Recebemos a todo momento fotos e vídeos de professores mostrando banheiros quebrados, lixo acumulado, goteiras, álcool em gel vencido. E tudo isso já está causando consequências graves. A APEOESP fez um levantamento em que constatou até agora 147 casos de covid em escolas. Todas tiveram algum tipo de atividade presencial. Imagine o que vai acontecer quando milhões de estudantes voltarem para as aulas presenciais no Estado”, afirma a Professora Bebel.

 

Leia Também
Coronavírus: Brasil tem vacinas para 26,7% da população prioritária
Coronavírus: Merck confirma que ivermectina não é eficiente contra doença
Bolsonaro tenta mediar crise com Barros e Anvisa por vacina
Pazuello diz à PF que não foi omisso em crise no Amazonas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora