QUE TAL UMA PIZZA

História da pizza

A história da pizza começa na Roma de César, a mais de 6.000 anos. Conta-se que os nobres desta época comiam o pão de Abraão, uma massa de farinha, água e sal que vai ao forno bem forte. A ele eram acrescidos ervas e alho. Essa mistura era chamada de Piscea.

A variação das coberturas foi amadurecendo com o passar dos anos, até que o tomate chegou à Europa trazido por Cristóvão Colombo e daí para frente o pomodoro foi incorporado totalmente à receita.

O primeiro pizzaiolo da história foi Don Rafaelle Espósito, proprietário de uma famosa pizzaria de Nápole, a Pietro il Pizzaiolo.

Embora a origem da pizza, como hoje é conhecida, seja italiana, os grandes devoradores desse produto ficam do outro lado do oceano. Os dois países que mais consomem pizza no mundo são respectivamente: EUA e Brasil, com destaque para as cidades de Nova Iorque e São Paulo.

O formato da pizza em Nápoles tem o padrão redondo, com 35 cm de diâmetro, mas idéias novas vêm surgindo; novas coberturas e também novos tamanhos e formatos. Em São Paulo, o tamanho da pizza varia de 20 a 45 centímetros e quanto à forma, não se acha somente pizza na forma convencional, redonda, mas também em versões quadradas e retangulares.

As coberturas são diversas: manjericão, aliche, lombo, rúcula, frango com catupiry, mussarela de búfula, quatro queijos, portuguesa, marguerita, escarola, atum, banana com canela, brigadeiro e muitas outras, mas a mais comercializada é a de mussarela. E se a pizza veio de Nápoles, a lingüiça mais famosa foi contribuição de outra região italiana, a Calábria. De sabor forte e inconfundível, a calabreza está sempre ali, entre as mais pedidas.

São tantas as variedades de coberturas que fica difícil escolher. Sabemos que a de mussarela e a calabreza são as mais vendidas, mas e quanto às calorias… Segue uma tabelinha com as calorias de algumas variedades de pizzas:

PIZZA
(1 fatia – massa média)
CALORIAS
(Kcal)*
Somente a massa
124,0
Mussarela
240,0
Calabreza
272,3
Quatro queijos
348,0
Rúcula, mussarela de búfala e tomates secos
261,7
Escarola
230,4
Atum e Cebola
237,3
Catupiry
276,8
Frango com Catupiry
236,8
Lombo canadense com catupiry
293,3
Marguerita
262,6
Romana
287,4
Banana com canela
243,2
Brigadeiro
325,0

*É importante lembrar que estes valores são apenas uma base, pois existe uma variação grande, uma vez que os valores dependem da quantidade de recheio e da expessura da massa, que é diferente de um local para o outro.

Além de ser uma ótima opção para quando: sair com amigos, chegar uma visita em casa; a pizza também é nutritiva quando sabemos fazer a escolha dentre os diversos sabores. Isto não significa que você deva comer pizza a toda hora, mas não há problemas em consumir uma ou duas fatias, entre as opções mais leves, e esporadicamente, como uma vez por semana.

A massa de pizza é uma boa fonte de carboidrato (principal nutriente fornecedor de energia), essencial para que você possa desempenhar suas atividades diárias com disposição. As calorias podem estourar por conta da cobertura, geralmente rica em gordura, portanto, deve-se prestar bastante atenção na hora de fazer a escolha.

Por isso, sabendo escolher os complementos mais saudáveis, você até pode trazer alguns benefícios para a saúde, saiba como:

Tomate

Boa fonte de vitamina C e A, folato e potássio, além do licopeno, que é um importante antioxidante que protege o organismo de alguns tipos de câncer, principalmente o da próstata;

Queijo branco

Alto teor de proteína e cálcio, além de ser uma boa fonte de vitamina B12;

Atum

Boa fonte de proteínas, ferro e alguns minerais, além de ser rico em ácidos graxos do tipo ômega-3;

Rúcula

É uma hortaliça rica em riboflavina e vitamina C, que é um antioxidante necessário ao crescimento e regeneração dos tecidos, funcionamento das glândulas supra renais e manutenção de gengivas saudáveis.

Previne contra o câncer, aumenta a imunidade, protege contra coágulos e auxilia na cicatrização de feridas, além de possuir substâncias diuréticas.

Já a riboflavina é necessária para o perfeito funcionamento do sistema de defesa e também para o crescimento. É muito importante durante a gravidez, pois a falta desta pode prejudicar o desenvolvimento do feto.

Ricota

Este tipo de queijo é uma ótima opção para compor sua pizza, afinal ele é uma boa fonte de cálcio, proteínas e de vitamina B12, além de oferecer uma baixa concentração de gordura e colesterol.

Peito de peru

É uma excelente fonte de proteínas e, em menor concentração, de vitamina A , vitaminas do complexo B e de minerais, além de apresentar menos gordura saturada que a maioria das carnes.

Se existe um prato que é quase uma unanimidade nacional na aceitação é a pizza. E sempre que falamos nela, lembramos dos italianos, mas não foram eles que inventaram essa delícia, nem ela surgiu com as características que conhecemos: massa fina, molho de tomate, queijo derretido, recheio e uma pitada de orégano por cima. Diz a história que a primeira pizza apareceu há mais de 6 mil anos e era apenas uma fina camada de massa conhecida como “pão de Abrahão” que os hebreus e egípcios consumiam. Ela se parecia com nosso pão sírio atual e também era chamada de “piscea”, daí o nome pizza.

Os italianos, milhares de anos depois, incrementaram a pizza com o tomate, e ela era consumida dobrada ao meio como se fosse um sanduíche. Sua disseminação aconteceu durante a segunda metade do século XIX, em 1889, com dom Raffaele Espósito, um padeiro napolitano que servia o rei Umberto I e a rainha Margherita e, para agradar e inovar o cardápio, resolveu adicionar à massa mussarela, tomate e manjericão, ingredientes que reproduziam as cores da bandeira italiana. E, em homenagem à rainha, ele batizou sua receita com o nome de pizza Margherita.

Na seqüência, padeiros mais criativos começaram a inovar e colocaram na pizza outros ingredientes, como o alho, o alicce e peixes da região.

A fama de Nápoles correu o mundo e, assim, surgiu a primeira pizzaria: a Port’Alba. Ela era um grande ponto de encontro de artistas da época. Entre eles, estava Alexandre Dumas, que até mesmo citou em uma de suas obras algumas variações da pizza. Por muito tempo, ela era vendida em padarias e barracas de rua e consumida no café da manhã. De Nápoles para o resto do mundo foi “um pulo”, pois os imigrantes a levaram para vários países e a popularizaram.

Ela chegou aos EUA, assim como ao Brasil, por intermédio dos imigrantes italianos. Por muito tempo, só se encontravam pizzarias nos redutos e colônias italianas. Hoje, essa famosa delícia está em qualquer lugar das cidades.

O Dia da Pizza é comemorado em 10 de julho desde 1985.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora