Radicalização ideológica: o papel do YouTube na eleição de Bolsonaro

As milícias digitais se pautam por canais como o de Nando Moura, Brasil Paralelo, entre outros cujos donos tiveram acesso privilegiado à posse de Jair Bolsonaro

Jornal GGN – Não foi apenas no WhatsApp que o eleitorado brasileiro teve acesso às fake news e conteúdos “bizarros”, “de discurso de ódio”, “intolerância”, “sexualizados” e delirantes, que ajudaram a eleger Jair Bolsonaro.

O New York Times publicou no dia 12 de agosto uma reportagem sobre como o YouTube ajudou a radicalizar o debate político no Brasil e massificou o alcance de influenciadores de extrema-direita que ainda hoje levam a mensagem do presidente a milhões de pessoas.

O youtuber Henry Bugalho, que coloca-se do lado dos canais “progressistas”, comenta a reportagem em vídeo, e aponta que os algoritmos do YouTube também tiveram papel fundamental nessa radicalização, impulsionando canais que não se preocupam com a verdade factual nem com o respeito à divergência de ideias.

As milícias digitais se pautam por canais como o de Nando Moura, Brasil Paralelo, Olavo de Carvalho, entre outros cujos donos tiveram acesso privilegiado à posse de Jair Bolsonaro, em Brasília, enquanto a imprensa profissional ficou restringida a um “chiqueirinho”. Foi a forma de o presidente recém eleito reconhecer e incentivar o trabalho dos influenciadores.

“O Youtube favoreceu o crescimento desses extremistas”, comentou. Canais de mentiras, conteúdo bizarro, terraplanistas, discurso de ódio são os que mais crescem, acrescentou.

Assista:

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro pode nomear PGR indicado pelo filho investigado no caso Queiroz

1 comentário

  1. As revelações da influência nefasta da operação de tecnologias de algoritmos, são trazidas a público pelo NYT. Antes denunciadas no Brasil apenas por produtores de conteúdo independentes, como Henry Bugalho. As plumas contaminadas dos quadros do judiciário se utilizam dos poderes de Estado que lhes são atribuídos para fazer a luta política, em busca de vantagens individuais (Cargos, de Ministro, por exemplo) e corporativas. Os crimes dos verdadeiros criminosos só são conhecidos quando revelados pela Suiça, Espanha e outros países. As fraudes nas eleições são abafadas pelos tribunais eleitorais, cuja única finalidade é garantir a sua lisura. Os crimes das organizações criminosas instaladas no judiciário, prosseguem denunciadas por um jornalista norte americano, sem qualquer consequência em relação aos crimes e criminosos apontados. As mais altas autoridades do país, com STF, com tudo, celebram pacto político para dar sustentação ao GOLPE e, mais recentemente, para garantir a permanência das milícias no poder.

    Se as Instituições estão funcionando, seria melhor que parassem de funcionar, porque estão destruindo o Brasil.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome