Raio X do IPCA de junho e a influência do câmbio, por Luis Nassif

Antes do balanço, vamos analisar o impacto dos produtos comercializáveis (aqueles regulados pelo câmbio e pelas cotações internacionais) no índice final.

No gráfico, levantei apenas os produtos diretamente afetados pelas cotações internacionais. Não entraram, por exemplo, produtos afetados pelo preço das matérias primas, como vestuário, tecidos. Portanto, o índice é sub calculado.

Na análise dos 12 meses, repare que apenas o impacto direto de câmbio e cotações internacionais pressionou o IPCA em 2 pontos. Respondeu por 25 da alta.

E essa pressão não refluiu. No acumulado de 6 meses, o câmbio respondeu novamente por 25% da alta.,

No acumulado dos últimos 3 meses, o câmbio influenciou em 56,4% o Índice

No mês de junho, a influência foi de 54%

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome