Rara cena de “Acabaram-se os Otários” (1929) – O primeiro

Raro trecho de “Acabaram-se os Otários” (1929), o primeiro filme sonorizado da história do cinema brasileiro.

Tomam parte nessa cena, a dupla de protagonistas do filme, os cômicos Genésio Arruda e Tom Bill. Por se tratar de um primitivo e precário sistema de sonorização, o áudio do filme não existe mais. O processo era feito através da gravação das falas e das músicas por meio de discos, e posteriormente, na exibição do filme, era feita a sincronização de imagem e som. O sistema foi uma invenção do próprio diretor, Luiz de Barros.

O ‘Canal Memória’ utilizou, como fundo musical, a canção “Deixei de ser Otário”, cantada pelo próprio Genésio Arruda, e que também foi usada como trilha sonora do filme.

“Acabaram-se os Otários” era apresentado como “um filme brasileiro cantado e falado em português, electro-gravado magistralmente em disco sem chiado”. O filme é resultado de uma aposta que o diretor Luiz de Barros foi obrigado a pagar. Lulu, como era conhecido no meio artístico, apostou que conseguiria fazer o primeiro filme falado brasileiro. E conseguiu. De maneira bem precária, mas eficiente. Com a estreia do filme, foi decretado o fim do cinema mudo no Brasil. Para se ter uma ideia da ousadia e grandiosidade da proeza de Lulu, o filme brasileiro estreou em menos de dois anos após o primeiro filme falado da história do cinema mundial, o norte-americano “Jazz Singer” (1927). O Brasil saiu na frente de grandes potências, como Itália (1930), Japão (1931), Argentina (1933), México (1931) e Índia (1931), países com uma extensa tradição cinematográfica.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome