Regina Duarte deixa Secretaria Especial de Cultura mas continua no governo

Atriz deve ser responsável pela Cinemateca Brasileira em São Paulo. Ator Mário Frias é cotado para assumir Secretaria

Jornal GGN – A atriz Regina Duarte deixa nesta quarta (20) a Secretaria Especial de Cultura. Fontes do governo, contudo, informam que a artista continuará “assessorando” o presidente Jair Bolsonaro, mas “sem o comando” que tinha na Secretaria.

Segundo a CNN Brasil, Regina será responsável pela Cinemateca Brasileira em São Paulo. A atriz saiu de encontro extraoficial com Bolsonaro, acompanhada da deputada Carla Zambelli. A parlamentar do PSL disse a jornalistas que Regina vinha “sentindo saudades da família” e teria pedido para trabalhar em São Paulo.

A emissora também afirma que o “governo vai fazer transição na Secretaria Especial de Cultura”, mas ainda não informou quem será o substituto ou substituta de Regina. Nesta semana, Jair Bolsonaro compartilhou vídeo flertando com o ator Mário Frias, que almoçou ontem com o presidente. Mas interlocutores também informaram que ele não está no horizonte de Bolsonaro no momento.

No final de semana, Bolsonaro exonerou o número dois da Secretaria, que era uma indicação de Regina.

Regina Duarte perde mais apoio de artistas, após entrevista à CNN

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Vazam mensagens de Zambelli e Moro: "Bolsonaro vai cair", escreveu

5 comentários

  1. Dizem as más línguas em Brasília que ficou acordado entre as partes um suprimento semanal de cloroquina, a fim de evitar qualquer crise mais grave de abstinência.

  2. Compreensível: Regina Tenho Medo Duartenão teme uma boquinha de din-din público, como a pensão de filha solteira de militar que recebe há mais de 20 anos.
    Ainda mais depois que perdeu o confortável emprego na Globo (e nunca abriu mão da pensão, pois a solteirice lhe assegurava marotamente ser só “namoradinha”, nunca esposa).
    “Casada” com um fazendeiro ruralista, supõe-se que nem precise de renda, mas uma graninha pública sempre é bem-vinda, né?
    Como a de seu (des)presidente, que sempre viveu de dinheiro público, consumindo oficialmente, em valor presente antes de ocupar “suas casas” (SIC) os palácios do Planalto e da Alvorada, mais de 60 (sessenta) MILHÕES de reais.

  3. Mais uma que foi sem nunca ter sido.
    Mas, como faz parte do time de “honrados” que hoje se aglomera no Planalto, certamente se recusa a receber proventos haja vista que nada produziu no período.
    De qualquer forma arrumaram um cantinho pra moça, e, senhora,.vê se pelo menos finge que trabalha porra.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome