Remisson Aniceto lança livro de contos e crônicas

Obra saiu pela Editora Penalux, com prefácio do professor Angelo Mendes Corrêa

Remisson Aniceto: “Adequado até para quem ainda não sabe ler mas gosta que alguém leia alto para eles”

“Um livro adequado para qualquer idade”. Assim Remisson Aniceto define sua obra, lançada recentemente. “Leva-me contigo – A Senhora S & outras histórias” reúne contos e crônicas e tem prefácio do professor Angelo Mendes Corrêa, mestre em literatura brasileira pela USP (Universidade de São Paulo), professor e jornalista. O livro saiu pela Editora Penalux. 

Prefácio 

Um olhar sensível sobre a condição humana

(Angelo Mendes Corrêa)

Os contos e crônicas reunidos neste intenso e sensível “Leva-me contigo – A Senhora S & outras histórias” revelam-nos um prosador de excepcionais qualidades, porém, antes de tudo, um observador raro da essência e das contradições humanas.

As inquietações da vida estão aqui retratadas por um astuto intérprete da (des)humanidade que tentamos racionalizar, mas nem de longe damos conta, tal nossa pequenez diante da complexidade que é viver.

Leveza e densidade se juntam nas histórias de Remisson Aniceto, arrebatando o leitor desde as primeiras linhas, numa escrita fluente, despojada de qualquer excesso sentimental ou estilístico, o que não o impede de pintar com cores fortes tantas situações pungentes de nosso cotidiano.

Gestado lentamente, “quase a conta-gotas… ou a conta-letras?”, conforme nos revela o autor, logo nas primeiras páginas, temos nas 23 histórias que compõem este volume um narrador inquieto em relação a nossos desajustes sociais (como não nos sensibilizarmos diante da figura humana que dá título a “O São- Paulino” ou do desabafo, contido em “O papel fundamental da educação para a política” e em “A Amazônia padece”, para citarmos apenas três exemplos de seu compromisso em refletir sobre seu tempo.

Leia também:  Covid-19 pode matar milhões na África sem ação imediata, diz chefe da ONU

Seja com a poesia e o colorido de “O indiozinho que se apagava”, a nos possibilitar aquilo que chamo de estágio de encantamento, seja com a narrativa trágica e o suspense de “Toc” ou, ainda, nas deliciosas e bem-humoradas “Rojões” e “Stand-up no ônibus”, temos, nas páginas que seguirão, bela oportunidade de conhecer personagens anônimos, que, no entanto, representam parte do que somos.

Por fim, cremos que em relação a Remisson Aniceto, que com este “Leva-me contigo” reúne, pela primeira vez, sua produção narrativa em livro, não é descabido associar o que disse mestre Mário de Andrade, numa das cartas que escreveu a Manuel Bandeira: “Se escrevo é primeiro porque amo os homens. Tudo vem disso pra mim. Amo e por isso é que sinto esta vontade de escrever, me importo com os casos dos homens, me importo com os problemas deles e necessidades. Depois escrevo por necessidade pessoal. Tenho vontade de escrever e escrevo. (Isto é pro caso dos versos). Mas mesmo isto psicologicamente pode ser reduzido a um fenômeno de amor, porque ninguém escreve para si mesmo, a não ser um monstro de orgulho. A gente escreve pra ser amado, pra atrair, encantar etc.” 

> Mestre em literatura brasileira pela USP (Universidade de São Paulo), professor e jornalista

——

Trechos da entrevista na revista “Divulga Escritor”

O título e a interação

“Quando resolvi selecionar os contos e crônicas para este livro, demorei muito tempo, pois a maioria dos textos escondem-se nos tantos blogs, sites, jornais e revistas impressos e virtuais. E a tarefa foi um tanto difícil, pois eu pretendia (e consegui) que a obra contivesse temas apropriados para leitores de todas as idades. Escolhidos e digitados os textos já em formato de livro, eu ainda não tinha o título. Certa noite, ao me emocionar com uma reportagem sobre o câncer, de imediato lembrei da história real de uma pessoa muito querida, vitimada por esta doença e o título estava escolhido. O conto ‘A Senhora S’ também foi escrito a partir de uma convivência real”. 

Leia também:  Manchetes dos jornais da Europa

“Se me perguntam o que mais me atrai numa obra literária, o ideal seria que a resposta viesse de um leitor, e o que mais me agrada é exatamente isto, saber que minha proposta para o livro está sendo alcançada, com o bom retorno que venho recebendo dos que já o leram. O primeiro comentário que recebi (e até agora o que mais me surpreendeu) foi o da mãe de um menino de 8 anos, que se mostrava encantada com o filho que estava lendo antes dela, um menino que mesmo com as limitações próprias para um leitor da sua idade, falava aos amigos e professores com grande entusiasmo e com detalhes do que mais lhe agradava nas histórias. E a mãe dele me agradecia de coração”. 

 

“A leitura proporciona um conhecimento de valor inestimável para qualquer idade, mas a maioria dos livros são classificados de acordo com a compreensão e a interação que se pode ter com o assunto e a forma com que a obra é escrita. Como o menino citado acima, cujo nível de interação e compreensão se mostra acima dos demais leitores de 8 anos, até porque ele aprendeu e tomou gosto pela leitura muito novo, junto com os seus pais. Este livro é adequado para qualquer idade, até para quem ainda não sabe ler mas gosta que alguém leia alto para eles”.

Leva-me Contigo, a senhora S & outras histórias – De Remisson Aniceto. Editora Penalux. Gênero: Contos. Ano: 2016. Formato: 14 x 21. Páginas: 220 | Pólen Bold 90gr. Preço: R$ 50 (já com o frete). O livro pode ser adquirido na loja virtual da Editora Penalux ou diretamente com o autor. E-mail: remisson8@yahoo.com.br

Leia também:  Bolsonaro tentou confiscar ventiladores de Recife, e o TRF-5 impediu

Fonte: http://www.olhovivoca.com.br/livros/5517/remisson-aniceto-lanca-livro-de-contos-e-cronicas/

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome