Salles nomeia empresário sem experiência para comandar Ibama em SC

Amigo do bolsonarista Luciano Hang, empresário teria assumido o cargo como moeda de troca entre o governo e o Centrão

Luciano Hang e Glauco José Côrte Filho. | Foto: Reprodução

Jornal GGN – O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) entregou mais um cargo para o Centrão. Dessa vez, a moeda de troca foi a superintendência do Ibama em Santa Catarina. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, publicou a nomeação do empresário Glauco José Côrte Filho, sem nenhuma experiência no setor ambiental, na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 29 de junho. 

De acordo com informações do jornal do Estado de S. Paulo, apesar de ter assinado a nomeação, a indicação de Côrte Filho ao cargo não tem nenhuma relação com Salles. O Ministério do Meio Ambiente (MMA) afirmou à reportagem que a indicação teria sido do ministro da Secretaria do governo, general Luiz Eduardo Ramos.

Ao Estadão, Côrte Filho admitiu que sua indicação partiu da bancada de Santa Catarina, mas nega envolvimento com Ramos . “A bancada me fez esse convite e eu assumi o desafio. Não tenho relação com o ministro Ramos, não tenho. Tive contato com ele, mas não tenho aproximação ou relação de amizade”, disse. 

Já sobre Salles, Côrte Filho afirmou que recebeu convite para assumir a superintendência do Ibama durante ocasião em que o ministro estava presente. “Ele esteve aqui na semana passada, na entrega de outorga do Parque Ecológico do Córrego Grande, em Florianópolis. Foi quando recebi o convite” disse.

Nas redes sociais, Côrte Filho posa ao lado do empresário bolsonarista e dono das lojas Havan, Luciano Hang. Formado em administração de empresas e sem nunca ter atuado no setor ambiental, seu trabalho mais recente teria sido na Matos Consultores Associados, uma organização de reestruturação empresarial.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Pressão de Bolsonaro e Salles comprometeu fiscalização ambiental

1 comentário

  1. É injusto afirmar que o nomeado de salles, Glauco José, nunca tenha atuado no setor ambiental.
    Informa-se que seu trabalho mais recente teria sido na Matos Consultores Associados…
    Ora, se ele trabalhou nos matos como consultor associado, não se pode dizer que ele seja alheio ao meio ambiente. Os matos são verdes e verde é natureza. (Afff!!!)
    E natureza por natureza, quer alguém mais verde que o seu padrinho, o véio da havan, vestido de verde dos pés até o pescoço?
    Ademais, não se pode ignorar a indicação de uma pessoa cuja fortuna chega a quase 19 bilhões, como é a do véio da havan (estou bege!)
    Às vezes fico me perguntando: “quem perde tanto dinheiro no caminho pra gente como o luciano da havan achar e guardar para si?” ou ” de quem ele toma tanto dinheiro?”
    Penso mais: “como que um sujeito como menos de 60 anos, podre de rico, ignorante e medíocre ainda não arranjou dinheiro pra consertar aquela cara.”

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome