São Paulo terá encontro do lobby o compliance, com FBI, DoJ e ninguém da Lava Jato

O encontro confirma a série da Lava Jato Lado B do GGN, que mostrava os grandes escritórios de advocacia internacionais entrando no mercado brasileiro no rastro das parcerias com o Departamento de Justiça e com escritórios locais.

O maior encontro do lobby da indústria do compliance – os caríssimos serviços de prevenção da corrupção oferecidos por grandes escritórios de advocacia – ocorrerá no final do mês de março em São Paulo.

O Summit Anti-Corruption Brazil se define como um “fórum ideal para networking”, isto é, para captar clientela. E, além disso, estreitar as relações entre autoridades brasileiras e americanas, do Procurador Geral a membros da Advocacia Geral da União, honrados pela possibilidade de participar de evento com tão ilustres companhias.

Segundo o programa, “é conhecido como o fórum ideal para networking, compartilhamento de experiências sobre estratégias de mitigação de riscos e programas de compliance de vanguarda e exploração dos desafios para realizar negócios na região”.

Curiosamente, não constam do programa nenhum dos procuradores da Lava Jato, nem ex-procuradores que saíram da Lava Jato para começar carreira no setor.

O encontro confirma a série da Lava Jato Lado B do GGN, que mostrava os grandes escritórios de advocacia internacionais entrando no mercado brasileiro no rastro das parcerias com o Departamento de Justiça e com escritórios locais.

Como anuncia um desses escritórios americanos sobre suas parcerias:

Tauil & Chequer Advogados (T&C) é considerado um dos mais renomados e conceituados escritórios de advocacia do Brasil. Somos uma empresa de serviços completos que oferece consultoria jurídica a clientes nacionais e internacionais, instituições financeiras e entidades governamentais. Desde a abertura em 1992, oferecemos aos nossos clientes consultoria de classe mundial, serviço de alta qualidade e conhecimento da legislação brasileira. Nossos escritórios nos centros de negócios do Rio de Janeiro e São Paulo garantem que estamos no coração dos desenvolvimentos jurídicos e comerciais no Brasil e nos ajudam a atuar como uma porta de entrada para os mercados internacionais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

4 comentários

  1. “Curiosamente, não constam do programa nenhum dos procuradores da Lava Jato, nem ex-procuradores que saíram da Lava Jato para começar carreira no setor.”

    É para não chamar a atenção, depois de arreganhar todo o nosso patrimônio para os interesses internacionais.

    Para quem comparecer ao evento, é como se fosse aquela parte da reza católica; “Ele está no meio de nós” , não precisa ser fisicamente, é até melhor.

  2. Já pensou se os empresários decidem não mais meter a mão no que é público, decidem interromper a corrupção e levar a sério a independência em relação aos cofres do estado? Do que viverão esses chupins? Como é que os EUA vão saquear o nosso país?

    Não, não… compliance realmente acabar com corrupção não é bom para os negócios de compliance.

  3. Todos esses bem conforme, pouco interessa com o que. E do lado de cá, conforme a corformidade com o mundo real, muitos conformados, alguns tantos inconformados, e outros tantos, cada vez mais numerosos, com fome. E a dúvida permanece, como conseguiram juntar tanta gente “disforme” onde seria tão importante boa fé e percepção aguçada?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome